Maratona de Londres proíbe garrafas plásticas

Maratona de Londres proíbe garrafas plásticas

Será o primeiro grande evento esportivo da capital inglesa em que as garrafas plásticas de água de um uso só serão completamente banidas. O anúncio foi feito pelos organizadores da Harrow Meia Maratona de Londres, que acontece no próximo domingo, 16/09.

Os mais de 10 mil corredores não poderão usar as garrafas plásticas durante os 21 km do percurso. No lugar delas, serão distribuídas gratuitamente cápsulas de água, que têm a embalagem feita com algas, a Ooho. A jornalista Mônica Nunes escreveu sobre ela, em novembro do ano passado, neste outro post.

Trata-se de uma película gelatinosa feita de um extrato natural de algas marinhas e cloreto de cálcio, que forma uma espécie de cápsula maleável ao redor da água. Totalmente comestível, a Ooho! elimina o uso de garrafas e de copos plásticos e também ajuda a reduzir os custos que envolvem essa produção e as emissões de CO2 que provocam o aquecimento global, garante a startup inglesa Skipping Rocks Lab, criadora da novidade.

As cápsulas de água que serão distribuídas durante a Meia Maratona de Londres

Este ano, pela primeira vez, a Maratona de Londres, que tem o trajeto mais longo – 42 km -, fez um teste utilizando copos biodegradáveis.

São iniciativas para tentar reduzir o volume absurdo de lixo plástico que é gerado em eventos como estes e que, dificilmente, acaba sendo reciclado. Em maio deste ano, os organizadores de um dos campeonatos de tênis mais famosos do mundo, Wimbledon, anunciou a proibição do uso de canudos plásticos (leia mais aqui).

Os londrinos são os maiores consumidores de garrafas do Reino Unido, comprando em média, 3,37 unidades por semana, ou 175 por ano. Para reverter esta situação, outra medida tomada pelo prefeito da cidade, Sadiq Khan, foi a instalação de bebedouros e fontes de água em diversos pontos da capital para combater a utilização de garrafas plásticas de um uso único e estimular a população e os turistas a carregar suas próprias garrafas.

No começo de 2018 também noticiamos como a Bélgica se tornou o primeiro país da Comunidade Europeia a implantar plano de ataque aos plásticos de uso único– como canudos, colheres de café, talheres e embalagens -, taxando seu uso.

Especialistas alertam que, se nada for feito urgentemente, em pouco tempo haverá mais plástico do que peixes nos oceanos!

Leia também:
França proíbe vendas de copos, pratos e talheres de plástico
Embalagem de xampu feita com lixo plástico marinho chega às prateleiras da França
Bactéria que come plástico PET pode ser solução contra poluição? 
Transformar plástico em energia: solução para acabar com o lixo nos oceanos?
Vídeo da Nasa revela ilhas de lixo no planeta

Lixo plástico ameaça 99% das aves marinhas

Foto: reprodução Facebook Harrow Half Marathon 

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta