Mapeei, a primeira loja brasileira sem plástico e sem lixo

Quando ingressou na faculdade de Geografia, Lívia Humaire (à direita na foto) já trabalhava com sustentabilidade, com agricultura urbana e havia participado de um projeto de compostagem doméstica em comunidades de Florianópolis. Anos depois, durante a reforma da casa onde morava, reforçou sua consciência sobre o lixo gerado numa obra desse tipo, também notado pela filha pequena. Em seguida, veio a ideia de fazer uma pós-graduação e, em suas pesquisas, descobriu o movimento mundial Zero Waste, criado pela ativista Bea Johnson, que desafia as pessoas a não produzir lixo no seu dia a dia.

“Esse movimento mostra, na prática, que a gente pode ter uma vida confortável e mais saudável, sem ferir o planeta, sem ferir a natureza, sem ferir a nós mesmos”, explicou Lívia. “Ele faz uma pergunta antes de qualquer consumo: ‘Isto que eu quero consumir vai gerar resíduo ou descarte?’. Se sim, há uma série de prioridades que ajudam qualquer pessoa a ponderar e decidir se vai consumir aquilo, mesmo, ou não”.

E, assim, a sementinha para a criação de uma loja de produtos sem plástico e que não geram lixo foi “plantada”: a Mapeei – Uma Vida sem Plástico.

Numa viagem de trinta dias ao exterior, Lívia se dedicou a conhecer projetos inovadores – que ela chamou de lugares revolucionários – associados ao movimento Zero Waste. “Todos seguem essa filosofia – zero wastee package free– e causam impactos muito positivos nas comunidades locais”, ressalta.

Absolutamente envolvida por esse movimento, Lívia e sua família iniciaram uma jornada pelo fim do desperdício. Reduziram, de forma drástica, a produção de lixo e praticamente baniram o plástico de casa. “Não queremos mais produzir lixo de forma desnecessária porque ele vai parar nos aterros sanitários, no lixões, nos rios, nos oceanos. E poluem praticamente todo o nosso planeta”, conta Lívia no vídeo que gravou para divulgar o crowdfundingao qual resolveu aderir pra terminar a obra da loja, e que você pode assistir no final deste post. “Podemos dizer que reduzimos em 80 a 85% a produção de resíduos”.

E como essa mudança de hábito acontece? Alterando a forma de comprar e de conduzir os alimentos e outros produtos para dentro de casa. Quer ver?

Em vez de usar saquinhos e potes plásticos para acondicionar frutas, oleaginosas e outros alimentos vendidos a granel, por exemplo, é só optar por potes de vidro. No lugar dos sacos plásticos, saquinhos de pano para “embrulhar” frutas, legumes e verduras. Pra embrulhar lanchinhos e outros alimentos, paninhos 100% algodão orgânico tratado com cera de abelha e óleo de coco; que apresenta opção vegana, com ceras vegetais (foto abaixo).

No lugar de escovas de dente plásticas, as de bambu, que são compostáveis. Chega de shampoos e condicionadores em embalagens plásticas e ainda com ingredientes que fazem mal à saúde! Você pode comprar os dois em barras, sem embalagens (foto abaixo). Cosméticos, só orgânicos, com o mínimo de embalagens ou que sejam recicláveis. Em vez de absorventes que demoram 500 anos para se decompor, absorventes de tecido.

Café? Só com coador de pano. Canudos? Dispensá-los é preciso, mas se você faz muita questão de usá-los, compre de inox ou vidro, reutilizáveis (e vc ainda pode gravar seu nome neles), e carregue na bolsa.

E, em vez de usar aquele plástico filme para cobrir alimentos em bowlsou copos que não têm tampa (geralmente de plástico!), “touquinhas” de pano leve. E por aí vão as sugestões sustentáveis para a limpeza da casa, higiene pessoal…

Quer levar comida de casa para almoçar no trabalho ou logo após uma reunião num hub? Ou mesmo um lanchinho ou uma sobremesa indispensável para acompanhar o café da tarde? Nada mais sustentável do que aderir à marmita.

Bom… dessa forma, qualquer pessoa consegue reduzir a produção de plástico e de lixo no dia a dia. Mas claro que isso só é realmente possível se houver pressão nos mercados, nas farmácias e outros estabelecimentos. Ou se lojas como a Mapeei – Uma Vida Sem Páastico (Rua Augusta, 1.524, loja 19, Centro, São Paulo, SP)da Lívia e da Lori Vargas, sua sócia (à esquerda na foto de abertura), se espalharem pelo país.

Sim, a delas é a primeira loja de produtos Zero Waste do Brasil, portanto, há uma grande oportunidade para quem quiser empreender, ganhar dinheiro e crescer com sustentabilidade.

De acordo com dados do relatório divulgado pelo Fórum Econômico Mundial e a Fundação Ellen MacArthur, em 2016, se não frearmos o consumo já, em 2050, teremos mais plásticos nos oceanos do que peixes. “E eu quero dizer não pra isso, que o nosso espaço convide as pessoas para dizer não pra isso, que apresente sempre soluções”, destaca Lívia.

Sim, a Mapeei é esse lugar. Um espaço de encontro entre os produtores que fazem artigos que não geram lixo e promovem essa atitude com as pessoas que querem reduzir a presença do plástico em suas vidas e seu lixo.

Na Mapeei, Lívia e Lori também oferecem cursos e palestras sobre consumo consciente e ensinam a fazer composteiras em casa. E ainda dão consultoriapara quem quiser reduzir a produção de lixo em seus estabelecimentos.

Sabedoria sustentável

Em seu blog e no Instagram que divide com a filha – Jornada Zero Waste – Lívia sempre divulgou informações e dicas para qualquer pessoa tirar o lixo e o plástico de seu dia a dia, mesmo antes mesmo de criar a Mapeei. Vale segui-la.

A loja também tem Instagram e Facebook e, nos dois perfis, são divulgados não só os produtos por lá vendidos, como novidades e informações práticas e históricas sobre cada produto, e também como fabricar alguns deles como sabão em pó.

Agora, assista ao vídeo produzido para divulgar o crowdfunding da Mapeei, no qual Lívia conta um pouco de sua jornada zero waste.

Fotos: André Estefano/Divulgação

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta