Mancha de óleo já atinge mais de 100 praias da região Nordeste

Mancha de óleo já atinge mais de 100 praias da região Nordeste

*Atualizado em 04/10/2019

Ainda não se sabe qual a procedência da mancha de óleo que está poluindo 124 localidades (praias), em 59 municípios do litoral nordestino. A costa de todos os estados foi afetada.

Hoje o Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) informou, em seu site, que o resultado da análise das amostras coletadas, feita pela Marinha e pela Petrobras, apontou que a substância encontrada trata-se de petróleo cru.

Segundo a Petrobras, o óleonão é produzido pelo Brasil. A principal suspeita é que a substância tenha vazado de algum navio petroleiro que passava pela costa brasileira.

“Esse tipo de acidente nunca tinha acontecido aqui no Brasil. Normalmente, as manchas de origem desconhecida, que é o caso dessa, são de pequeno impacto e abrangem só um estado. É a primeira vez que a gente está vendo um acidente, sem poluidor conhecido, atingir tantos estados”, disse a coordenadora geral de Emergências Ambientais do Ibama, Fernanda Pirillo.

Mancha de óleo já atinge mais de 100 praias da região Nordeste

Mesmo sendo estrangeiros, os responsáveis pelo derramamento de óleo
podem responder à Lei de Crimes Ambientais do Brasil

Morte de animais

A mancha começou a contaminar o litoral do Nordeste no começo de setembro, e com o passar das últimas semanas, foi atingindo mais e mais praias.

Até este momento, o Ibama já registrou a morte de uma ave e sete tartarugas marinhas em praias do Ceará, Rio Grande do Norte, Maranhão, Piauí e Pernambuco. Outras tartarugas, com vida, foram resgatadas, sujas com óleo. Não foram feitos exames ainda com peixes e crustáceos para saber se houve contaminação dos mesmos.

Mancha de óleo já atinge mais de 100 praias da região Nordeste

A orientação a pescadores e banhistas é que não toquem no óleo e que, se encontrarem manchas em alguma praia, entrem em contato com os órgãos públicos, indicando o local em que elas estão localizadas. O telefone da Linha Verde do Ibama é 0800 618080.

Abaixo outros contatos disponibilizados pelo Projeto Cetáceos da Costa, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (PCCB-UERN):

A seguir as principais recomendações dos especialistas do projeto caso algum animal sujo com óleo seja encontrado:

1. Ligue imediatamente para equipe do PCCB-UERN e informe detalhes sobre a situação (se é golfinho, baleia, tartaruga marinha, peixe-boi ou ave marinha, se está vivo ou morto e local do encalhe) e se possível, envie fotos ou vídeos via WhatsApp;

2. Não entre em contato com o óleo. Perigo de alta toxidade! Não tente limpar com sabão, areia, ou qualquer produto químico. Essas substâncias podem disseminar a contaminação do óleo no ambiente e no animal;

3. Não devolva o animal ao mar. Animais encalhados precisam de avaliação clínica especializada. Caso devolvido sem cuidados adequados, o animal poderá encalhar novamente;

4. Isole a área, evite barulho, conversas, e movimentos que possam estressar o animal. Não alimente e nem force a ingestão de líquidos;

5. Proteja o animal do sol (com guarda-sol, panos limpos) e aguarde a chegada da equipe de resgate.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também:
Brasil acima de tudo, petróleo acima de todos e o resto é culpa das ONGs
Ibama autoriza leilão para exploração de petróleo próximo ao Parque Nacional de Abrolhos

*Texto alterado para atualizar o número de localidades atingidas pela mancha de óleo e dos animais mortos

Fotos: Adema/Governo de Sergipe

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta