Maior fabricante de brinquedos do mundo lança coleção de boneco/as com gênero neutro

Maior fabricante de brinquedos do mundo lança coleção de boneco/as com gênero neutro

Menino ou menina? Ou sem gênero? Quem decide é a criança. Pelo menos aquelas que ganharem as bonecas/os da nova coleção da Mattel, maior empresa de brinquedos do mundo e famosa por ser a fabricante da Barbie.

A linha chamada de Creatable World oferece bonecos que podem ser customizados conforme a vontade da criança. O corpo não tem características nem femininas, nem masculinas: nada de seios, coxas grossas ou ombros largos.

O objetivo da empresa é estimular o conceito da inclusão e da diversidade no universo infantil. “Em nosso mundo, as bonecas são tão ilimitadas quanto as crianças que brincam com elas”, diz a campanha da Mattel.

“Os brinquedos são um reflexo da cultura e, à medida que o mundo continua comemorando o impacto positivo da inclusão, sentimos que era hora de criar uma linha de bonecas sem rótulos”, afirma Kim Culmone, vice-presidente sênior da Mattel Fashion Doll Design. “Por meio de pesquisas, ouvimos as crianças dizerem que não querem que seus brinquedos sejam ditados pelas normas de gênero. Essa linha permite que todas as crianças se expressem livremente”.

As bonecas/os são vendidas em kits com um enorme quantidade de acessórios – cabelos curtos, longos, shorts, vestidos, óculos, bonés -, e a partir daí, as crianças decidem como querem que elas/elessejam. Há opções de tons de pele e cor de cabelos diferentes também.

Maior fabricante de brinquedos do mundo lança coleção de boneco/as com gênero neutro

Creatable World tem seis tipos de kits

O desenvolvimento da nova coleção contou com a participação e a opinião de psicólogos, médicos, pais e crianças.  

Maior fabricante de brinquedos do mundo lança coleção de boneco/as com gênero neutro

Bonecas “sem rótulos”

Hora de mudança

Durante muito tempo, a fabricante da Barbie disseminou o conceito da “beleza estereótipo”, vendida pela publicidade como a da “perfeição”: mulheres loiras, magérrimas, de seios grandes e cintura finíssima. Apesar de ser o sonho de consumo de milhões de meninas ao redor do mundo, ela simplesmente não refletia a realidade, nem a diversidade das pessoas.

Mas parece, que nos últimos anos, a companhia, que tem 74 anos, se deu conta de seu papel social e mudou seu marketing, retratando as diferenças e a pluralidade das mulheres.

Em março do ano passado, por exemplo, para celebrar o Dia Internacional da Mulher, foram lançadas novas personagens da coleção Mulheres Inspiradoras: a artista e ativista mexicana Frida Kahlo; a primeira aviadora a atravessar o Oceano Atlântico, a americana Amelia Earhart; e a física, cientista espacial e matemática da Nasa, Katherine Johnson.

No final de 2017, houve outro passo corajoso. A Mattel divulgou no Instagram Barbie Style fotos da boneca e uma nova amiga, usando camisetas com a expressão Love Wins (O amor vence), adotada pelos grupos pró-casamento gay nos Estados Unidos, que se tornou slogan das lutas da comunidade LGBT (leia mais aqui ).

E no começo de 2019, lançou (finalmente) modelos da Barbie cadeirante e com prótese na perna.

Barbie lança (finalmente) modelos em cadeiras de rodas e com prótese na perna

Leia também:
As bonecas da inclusão
Quem disse que meninas precisam vestir rosa e brincar de casinha?
Campanha #ToyLikeMe comemora lançamento de primeiro boneco Lego cadeirante
Crianças com menos brinquedos brincam por mais tempo e de maneira mais criativa
Menos brinquedos e mais descobertas

Fotos: divulgação Mattel

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta