Maia e Guida chegam ao Santuário de Elefantes na Chapada dos Guimarães

maia-e-guida-chegam-ao-santuario-abre

Maia tem 42 anos  (à direita, na foto). Guida, 44. As duas elefantas foram tiradas da convivência com suas famílias, na Ásia, ainda bebês, e trazidas para o Brasil para viver em circos. Passaram a vida inteira assim, sendo maltratadas e impedidas de viver livremente. Carregam sequelas terríveis, mas que podem ser revertidas agora que encontraram um verdadeiro lar para morar e passar o resto de suas vidas: o Santuário de Elefantes Brasil, na Chapada dos Guimarães, próximo de Cuiabá.

No dia 12/10, depois de viverem por seis anos na fazenda do advogado Giuliano Vettori – seu fiel depositário -, em Paraguaçu, Minas Gerais, elas foram colocadas – na verdade, atraídas por comida, mas cada uma no seu tempo – em caixas de ferro com mais três metros de altura, para serem transportadas por caminhões especiais ao longo de 1,6 mil km. A operação durou cerca de nove horas e foi feita com muita paciência e empenho de toda equipe do santuário, liderada pelo especialista americano Scott Blais. Ele foi presidente do Santuário de Tenessee e, desde o início do projeto do santuário brasileiro, mora no Brasil e trabalha ao lado de uma equipe dedicada e da diretora do Santuário de Elefantes Brasil, Junia Machado.

Os caminhões cruzaram quatro estados e fizeram algumas paradas estratégicas para recuperação dos motoristas e da equipe que acompanhou Maia e Guida, mas também para que as duas se alimentassem e pudessem descansar. O “comboio” passou por Ribeirão Preto, em São Paulo, Uberlândia, em Minas, Jataí, em Goiás e Rio da Casca, em Mato Grosso. Em cada cidade, todos foram muito bem recebidos pelos moradores, que vibraram com as elefantas. Por volta de meio dia, em 12/10, todos chegaram bem à Chapada dos Guimarães (no final deste post, assista à reportagem da TV Paranaíba sobre o trabalho da equipe do santuário para transportar as duas elefantas).

Maia e Guida são as primeiras habitantes do primeiro santuário da América Latina, como já contamos em reportagem publicada, aqui no Conexão Planeta, em agosto – Chapada dos Guimarães abria primeiro santuário de elefantes da América Latina –, uma das primeiras (e bem detalhadas) sobre essa iniciativa linda. E essa viagem só foi possível graças ao dinheiro arrecadado com o crowdfunding promovido  pelo santuário brasileiro. A arrecadação não foi total (53,1%), mas ajudou bem no transporte de Maia e Guida.

O projeto prevê reunir 50 elefantes no santuário da Chapada dos Guimarães. A próxima moradora virá do Chile: é Ramba, mantida sob os cuidados da ONG Ecópolis, que mora em um zoológico desde que foi tirada do circo onde “trabalhava”. Junia e Blaiss ajudaram a ONG a removê-la de lá. Este ano, os dois ainda querem receber mais dois elefantes da Argentina, para que conheçam sua nova casa.

Acompanhem as novidades sobre Maia e Guida e outras ações do Santuário de Elefantes Brasil por meio de sua página no Facebook e também pela página do Global Sanctuary for Elephants, na mesma rede social. Os primeiros momentos das duas elefantas no santuário foram emocionantes como mostra o vídeo publicado por esta ONG no Facebook.

O site do Santuário tem informações completas sobre o projeto – missão, objetivos, passo a passo do trabalho, parcerias – e também indicação de como colaborar e doar.

Agora, assista à reportagem que mostra detalhes dos preparativos, em Paraguaçu de Minas, para a viagem de Maia e Guida ao santuário:

Foto: Reprodução do vídeo

Leia também:

População de elefantes africanos foi reduzida em 30% nos últimos anos
Circo nos EUA vai parar de usar elefantes em shows em 2016

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta