Madrid pede para homens “fecharem as pernas” no transporte público

Espaçoso. Folgado. Mal educado. Sem noção. Qualquer uma destas palavras podem ser usadas para descrever o desagradável comportamento de alguns homens ao sentarem em lugares públicos. Esparramados, eles ficam com as pernas abertas, como se estivessem sentados no sofá da casa deles. Ops, só que eles estão em um local público e precisam respeitar o direito de quem está ao lado, além de não ocupar mais do que um assento!

Para chamar a atenção da população sobre este péssimo hábito, a companhia de transporte público de Madrid (EMT), lançou uma campanha para tentar acabar com o manspreading. O termo, em inglês, une duas palavras: man – homem e spreadingesparramado.

A iniciativa da campanha surgiu de uma parceria entre a EMT e o Conselho de Equidade de Gêneros da prefeitura e a organização Microrrelatos Feministas, que fez uma petição online pedindo a instalação de sinalização no transporte público.

Os novos adesivos, que serão colocados nos ônibus e metrôs da capital espanhola, também já foram necessários em outros países. Parece que, independente da nacionalidade, em todo canto do mundo, há homens espaçosos.

Há poucos anos, o metrô de Nova York e o departamento de transporte público de Seattle foram obrigados a fazer o mesmo pedido para que os homens fechassem suas pernas.

O que mais impressiona é que este problema é bem antigo. Uma campanha de conscientização, em 1947, já mostrava que os homens se sentiam no direito de ter mais espaço no metrô novaiorquino. Lamentável, não?!

Abaixo, algumas das peças de comunicação elaboradas para tentar fazer com que eles abram os olhos e mantenham as pernas fechadas:

 

Foto: WNYC New York Public Radio/Creative Commons/Flickr (abertura) e demais divulgação/reprodução internet

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta