Livro traz fotos com feições impressionantes de animais ameaçados de extinção

Futuras gerações podem não ter a chance de conhecer animais como gorilas, orangotangos, macacos e lêmures. 60% dos primatas que vivem hoje na natureza podem simplesmente desaparecer. Isso significa que das 504 espécies conhecidas pela Biologia atualmente, 300 podem deixar de existir e outras tantas estão com declínio de sua população.

Cientistas já consideram o que está acontecendo nos dias de hoje como uma nova onda de extinção em massa. E o único responsável por esta tragédia é o homem.  Segundo um artigo divulgado na publicação Science Advances, em janeiro deste ano, entre as principais causas para a possível extinção dos primatas estão as atividades humanas, como a expansão da agricultura industrial e a pecuária sobre as florestas, desmatamento provocado pela indústria madeireira, mineração e exploração de combustíveis fósseis. Todas estas atividades têm destruído o habitat de milhares de animais no mundo todo.

Para chamar a atenção sobre a extinção em massa de animais, durante dois anos, o fotógrafo britânico Tim Flach registrou as principais espécies ameaçadas. Em algumas fotos, usando um fundo preto, ele conseguiu captar expressões impressionantes, muito parecidas com as humanas.

O resultado deste trabalho está no livro Endangered” (Ameaçados, em português). A obra conta com textos do zoologista Jonathan Baillie, cientista chefe da National Geographic Society e conselheiro da União Internacional pela Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês).

Logo na capa aparece um lêmur (Propithecus coronatus) – com os braços cruzados em torno das pernas e olhos bem abertos -, como se estivesse pensando, ou talvez, se questionando… ou questionando o leitor sobre o que estamos fazendo com o planeta.

Livro traz fotos com feições impressionantes de animais ameaçados de extinção

São mais de 180 imagens no livro. Flach viajou pelo mundo todo. Esteve no Ártico para fotografar ursos polares, em Galápagos para nadar ao lado de tubarões brancos, e ainda, fez a foto de Sudan, o último macho de rinoceronte branco do norte sobrevivente no mundo.

“Minha verdadeira pergunta é a seguinte: Por que faço isto? Por que tiro uma foto do último rinoceronte branco macho? A questão é entender como chegamos a este ponto”, disse Flach à Associated France Presse.

O britânico é um renomado fotógrafo, que há muitos anos registra momentos da vida animal. As imagens de seu novo livro estão em exposição, até 22 de dezembro, na Galeria Osborne Samuel, em Londres.

Confira abaixo algumas das fotos que aparecem em “Endangered”:


Leia também:
Humanidade destruiu 10% das áreas selvagens do planeta nos últimos 25 anos
Extinção ameaça maior primata do mundo
Florestas tropicais de 20 países – o Brasil, entre eles – estão ameaçadas pela produção do óleo de palma

Fotos: divulgação/Tim Flach

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta