‘Ligue 180’ vira marchinha de Carnaval e integra campanha da ONU pelo fim da violência contra as mulheres

image

O Carnaval já está nas ruas com blocos de todos os tamanhos e logo estará nas avenidas e sambódromos também. Esta é uma época em que a criatividade corre solta, não só nas fantasias – e alegorias -, mas também nas letras das músicas criadas para a ocasião.

Além das marchinhas e sambas já conhecidos, os foliões estão de mentes e corações abertos para aprender as novas canções. Assim, compositores e cantores do Carnaval se empenham para criar a canção que rapidamente conquistará o público. Mas não só estes! Tião Simpatia não pertence a nenhuma escola de samba, mas é cantor, músico, compositor, cordelista e arte educador no Ceará e mais: integrante da Rede Latino-Americana de Artistas da campanha da ONU: UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres. Por isso, este ano, o artista compôs uma marchinha muito simpática para divulgar o Ligue 180, serviço gratuito – e confidencial – oferecido desde 2005 pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do Ministério de Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

Entre as campanhas socioeducativas que Tião realiza na capital cearense, está a divulgação da Lei Maria da Penha por meio do cordel. A marchinha vem se somar a seus esforços para conscientização do público a respeito do tema. No final deste post, ouça a marchinha e cante com o artista (a letra está reproduzida na íntegra, logo após o vídeo).

A representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, disse ao site das Nações Unidas que a violência de gênero também entrou nas matrizes culturais e que é pela mudança de cultura e de atitude que poderá ser enfrentada. Ela declarou que “A violência contra as mulheres se naturalizou, inclusive por meio de obras artísticas e culturais. É importante que a desconstrução da violência seja feita em músicas, novelas e outras formas de expressão. Isso faz com que as pessoas reflitam e comecem a perceber o quanto é fundamental eliminar a violência por meio de diferentes formas de expressão e de linguagem, além de incentivar realidades inclusivas e respeitosas”. Sobre a música de Tião, comentou: “O Carnaval é alegria e nada melhor do que uma marchinha, com conteúdo crítico e de conscientização para embalar o presente e o futuro sem violência contra as mulheres”.

A Rede Latino-Americana de Artistas

Esta rede foi criada em 2011, no âmbito da ONU, e reuniu 29 artistas de vários países da América Latina e do Caribe. Hoje, são 71 participantes que expressam seu compromisso com os esforços das Nações Unidas ao disseminar os objetivos, o trabalho e as atividades da campanha UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres.

A campanha UNA-SE foi lançada em 2008 por Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, para aumentar a consciência da humanidade e incrementar a vontade política e também os recursos destinados a prevenir e impedir que a violência contra as mulheres se alastre. Ela é um apelo à ação de governos, setor privado, sociedade civil, organizações de mulheres e de jovens, artistas, meio de comunicação e a homens e mulheres que desejam, de fato, eliminar o problema.

Ligue 180

Há onze anos (que se completarão em março), o Ligue 180 atua como disque-denúncia por 24 horas (inclusive nos fins de semana e feriados), de graça e garantindo o anonimato de quem denuncia, em qualquer lugar do Brasil e mais 16 países: Argentina, Uruguai, Venezuela, Paraguai, Guiana Francesa, EUA (São Francisco), França, Inglaterra, Itália, Bélgica, Espanha, Holanda, Luxemburgo, Portugal, Noruega e Suíça. Não é o máximo?

No Brasil, essa Central de Atendimento já recebeu mais de 4,5 milhões de denúncias. É a porta principal de acesso aos serviços que integram a Rede Nacional de enfrentamento à violência contra a mulher, amparada pela Lei Maria da Penha, de 7 de agosto de 2006. Use para denunciar abusos! Só assim será possível ajudar a erradicar esse tipo de violência.

Agora, ouça a marchinha e cante com Tião (a letra está no final do post):

Ligue 180
Violência doméstica ninguém mais aguenta
Não tolere, denuncie, ligue 180! (bis)

É grátis qualquer um pode ligar
24 horas no ar
Registrando ocorrência.
Chega de maltrato e preconceito
Toda mulher tem direito
A viver sem violência.

É a Central da Mulher
Do Governo Federal
Peça ajuda, denuncie
Dê um basta nesse mal.

A Central da Mulher
Do Governo Federal
Ligue 180
O sigilo é total.

Violência doméstica ninguém mais aguenta
Não tolere, denuncie, ligue 180! (bis)

Meu amigo, não machuque
A beleza feminina
Uma flor dilacerada
Entristece e não germina.
A mulher quando agredida
Tem da flor a mesma sina
Maltratada murcha e seca
E bem regada nos fascina.

Leia também:
#orangetheworld: o mundo se ilumina de laranja pelo fim da violência às mulheres

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Um comentário em “‘Ligue 180’ vira marchinha de Carnaval e integra campanha da ONU pelo fim da violência contra as mulheres

Deixe uma resposta