Julho de 2015 é o mais quente da história

por do sol

Dados divulgados pela Agência Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) neste último final de semana confirmaram o que muitas pessoas ao redor do mundo sentiram na pele: julho foi o mês mais quente da história, desde que este tipo de medição começou a ser feito em 1880. É um novo e triste recorde.

Para chegar a esta conclusão, os cientistas da NOAA analisam tanto a temperatura da superfície terrestre como a dos oceanos, que na média, atingiram 16,6ºC – a mais alta registrada para o mês de julho no século 20. Esta é a sexta vez consecutiva que o mês de julho apresenta temperatura recorde da superfície da Terra entre 1880 e 2015. Em junho último, o mesmo já havia acontecido.

O relatório mostra ainda que as águas do oceanos nunca estiveram tão quentes como agora. Os cientistas revelam que áreas dos Oceanos Pacífico e Índico são as mais afetadas.

A agência americana também verifica as condições dos polos do planeta. No mês passado, a cobertura de gelo do Ártico ficou abaixo daquela registrada entre 1981-2010 (a medição naquela região só começou em 1979). Entretanto, na Antártica foi observado justamente o oposto. Pela quarta vez consecutiva, aumenta a extensão de gelo no Polo Sul.

Quando observadas as temperaturas nos seis primeiros meses de 2015, elas são as mais altas da história. Representam aumento de 1.34ºC. É bom lembrar que os cientistas do clima recomendam que a elevação máxima até o final do século deva ser de 2ºC.

O aquecimento da temperatura no globo provoca o crescimento dos chamados eventos climáticos extremos, como inundações, secas e furacões. Em 2015, em várias partes do planeta, estes fenômenos foram agravados. Nos Estados Unidos, a Califórnia sofre com seca histórica, que nem com a passagem do Furacão Dolores pela região e a chegada de fortes tempestades, teve sua situação melhorada. A Austrália foi atingida por nevascas em algumas cidades e o Japão pelo tufão Nangka. Já as capitais europeias tiveram um dos mais quentes verões de suas histórias.

O relatório da NOAA é divulgado mensalmente. O estudo completo referente ao mês de julho de 2015 pode ser acessado aqui.

Eventos climáticos extremos em julho de 2015

gráfico NOAA eventos climáticos extremos


Foto: domínio público/pixabay

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

2 comentários em “Julho de 2015 é o mais quente da história

Deixe uma resposta