Jaime Lerner é eleito segundo urbanista mais influente do mundo

Este tipo de lista é sempre bacana de fazer, ler e apreciar. A gente tem curiosidade de saber quem são os dez mais, os 50 mais incríveis, os 100 top, na opinião seja de quem lá for. Impossível não trazer algum conhecimento adicional, descobrirmos pessoas que não conhecíamos… Além disso, enfatiza a importância dos nossos ídolos, nos remete a temas e tempos esquecidos, e – claro! – nos deixa orgulhosos quando vemos, por exemplo, um brasileiro entre tais pessoas ilustres, como é o caso do arquiteto curitibano Jaime Lerner, agora.

Lerner foi escolhido pelos leitores da revista americana Planetizen (profissionais e estudantes de urbanismo, em geral) como um dos 100 urbanistas mais influentes do mundo, ou seja, uma das “pessoas que mais influenciaram os lugares e ambientes que chamamos de lar”, como diz a noticia publicada pelo site, que divulga os nomes.

Melhor!! Dos 100 indicados, Lerner é o segundo mais interessante, ficando atrás apenas de Jane Jacobs, escritora e ativista política, que “defendia uma nova era de planejamento liderado pela comunidade”, pelas pessoas.

Jacobs é muito conhecida por seu livro A morte e a vida das grandes cidades americanas, no qual critica a forma como foram geridos os espaços públicos nos Estados Unidos, nos anos 50, identificando as raízes da violência e do abandono, mas também mostrando que é possível zelar pela qualidade de vida, pela segurança e pela manutenção das metrópoles.  

Lerner foi lembrado por sua atuação como prefeito da cidade de Curitiba – três vezes eleito -, reconhecida como um período de revitalização que tornou-a conhecida pelo planejamento mais humano, focado nas pessoas, que transformou o transporte público, inovou em projetos urbanos e inseriu programas socioambientais na pauta.

Merecido! Este brasileiro inovou de fato. Lerner bradou aos quatro ventos que as pessoas devem morar perto de onde trabalham e jamais perder tanto tempo no transporte. Ele falou de Acupuntura Urbana (escreveu um livro e gravou um vídeo sobre o assunto quando ganhou o Prêmio Planeta Casa, da revista Casa Claudia, em 2008, que você pode assistir no final deste texto), criou a Rua Portátil… e chegou a escrever um rap sobre suas ideias avançadas, ao mesmo tempo que tão simples. Ele cantou essa música em uma palestra que fez para a conferência TEDTalks. Reproduzo o vídeo dessa palestra – O canto da cidade de Jaime Lerner – no final deste post; o rap está no último minuto.

Lerner é um gênio! Por isso, será sempre lembrado assim, como na Planetizen, sempre em boa companhia. E é sobre isso que quero falar agora: quem são os nomes que o acompanham nessa enorme lista.

Artista, filósofo, jornalista, produtor de desenho animado… todos influenciaram e transformaram nossas cidades

Entre os dez mais influentes urbanistas do mundo, estão figuras dedicadas ao planejamento e ao urbanismo de fato, como Jan Gehl (“arquiteto e urbanista famoso por refocar design e planejamento na escala humana”), Franklin Loyd Wright (“talvez o arquiteto mais famoso da história dos EUA, que propagou a teoria da arquitetura orgânica) e Le Corbusier (“pioneiro da arquitetura e planejamento modernos”).

Mais adiante, também estão nessa lista, Robert Moses (17o.), construtor de Nova York a quem Jane Jacobs dedicava boa parte de suas críticas e Michel Bloomberg (23o.), “empreendedor e filantropo que serviu três mandatos como prefeito de Nova York e implementou um dos mais importantes períodos de inovação no governo da maior cidade do país”.

Mas outro grande mérito da Planetizen é a diversidade de profissões. Entre os cem notáveis, está também gente que influenciou cidades e pessoas com suas ideias e seu expertise: pensadores, ativistas e designers, muito além ou aquém da gestão.

Estão lá o artista Jean Michel Basquiat (96o.), que começou sua carreira como grafiteiro em Nova York, e ajudou a popularizar essa arte; o produtor de desenhos animados Walt Disney (37o.), por causa de sua Disney World; o arquiteto e engenheiro romando Vitruvius (55o.), “cuja descrição da proporção perfeita em arquitetura e na forma humana influenciou Leonardo da Vinci”; Walter Benjamin (82o.), “filósofo famoso pelas teorias da estética, que focou a investigação académica no conceito do flâneur” (caminhante, errante, observador); Naomi Klein (83o.), “jornalista, ativista e autora do livro Isto Muda Tudo: Capitalismo Versus Clima, Choque Arbitrário e Não é Suficiente”; e William McDonough (98o.), “arquiteto, designer de produto e advogado, autor do livro Cradle to Cradle: Refazendo o Caminho que Fazemos as Coisas”, que destaca a importância de parar de consumir e reaproveitar o que já foi processado.

Menos homens e brancos

Outra característica interessante da lista deste ano é a presença de 17 mulheres. Nas indicações de 2009, havia apenas nove, então, esse número significa um grande avanço. Dá pra celebrar. Diversidade de gênero.

Na verdade, a lista deste ano é muito menos masculina e branca, vejam só! Diversidade de raça.

Ainda há muito a fazer nesse sentido, mas esta constatação já é bastante animadora e se soma à onda humanista que se opõe fortemente ao fascismo que vem tentando (e conseguindo em muitos casos) reduzir direitos em todos os cantos do mundo.

Agora, assista aos dois vídeos que comentei acima: sobre o conceito de Acupuntura Urbana e a palestra de Lerner num TEDTalks, onde ele cantou seu rap:


 

Foto: Divulgação

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Um comentário em “Jaime Lerner é eleito segundo urbanista mais influente do mundo

  • 5 de abril de 2018 em 9:21 AM
    Permalink

    Merecido a eleição para Jaime Lerner. Muito interessante a palestra. Idéia inovadora.

    Resposta

Deixe uma resposta