Jacutinga volta à Mata Atlântica graças ao trabalho de biólogos brasileiros

jacutinga

No passado, a jacutinga (Aburria jacutinga), esta linda ave da foto acima, era encontrada em florestas desde a Bahia até o Rio Grande do Sul. Endêmica da Mata Atlântica, ou seja, ela só existe neste bioma e em nenhum outro lugar do mundo, ela foi desaparecendo. A perda de seu habitat natural, provocado pelo desmatamentohoje restam apenas 8,5% do território original da Mata Atlântica -, e também a caça, fizeram com que a jacutinga fosse praticamente extinta no Brasil. Em um censo realizado em 2010, somente foi avistada uma única ave no Parque Estadual da Serra do Mar, no estado de São Paulo.

Seis anos depois, em junho último, graças aos esforços de conservação da equipe da organização Save Brasil, nove jacutingas foram soltas em uma área protegida, dentro da Serra da Mantiqueira, em São Paulo.

Antes disso, entretanto, as aves passaram por processo de reabilitação à vida selvagem. Em março deste ano, elas deixaram um criadouro particular e foram levadas para o viveiro de reabilitação na Serra da Mantiqueira. Durante três meses, os biólogos estudaram o comportamento das jacutingas e a interação social entre elas. Também as treinaram para que, na mata, se alimentassem e voassem livremente e reconhecessem predadores.

Após a soltura, o grupo das jacutingas continua a ser monitorado com radares via satélite, colocado em colares nas aves, além de idas a campo pelos pesquisadores e ainda, através da participação da comunidade local, incentivada a relatar quando elas são avistadas.

Foi exatamente desta maneira, que uma semana depois de serem reintroduzidas na mata, um morador da região avisou que havia visto uma jacutinga macho, acompanhada de uma fêmea, há mais de 1 km de distância do viveiro de reabilitação. Para os biólogos envolvidos no projeto, esta é uma excelente notícia, já que mostra que os animais estão circulando livremente pela floresta e se alimentando adequadamente.

A ação de reabilitação e soltura das aves faz parte do Projeto Jacutinga, uma parceria da Save Brasil com o ICMBio/APA Mananciais do Rio Paraíba do Sul.

Parte importante do trabalho conjunto destas organizações é a educação ambiental da comunidade. Desde o ano passado, foram realizadas diversas ações e atividades com professores e alunos das escolas públicas da região*. Para que se sintam estimulados a se envolver no projeto de preservação da jacutinga, as pessoas precisam entender a importância da ave para o meio ambiente.

Além de se alimentar do palmito-juçara (Euterpe edulis), a jacutinga consome uma enorme variedade de frutos. Ao regurgitar ou defecar as sementes, a ave contribui para a dispersão das mesmas e assim, exerce seu papel de colaboradora no replantio de espécies de árvores e plantas da Mata Atlântica.

jacutinga-volta-mata-atlantica-gracas-trabalho-biologos-brasileiros-viveiro-conexao-planeta

Viveiro de reabilitação das jacutingas na Serra da Mantiqueira

*Neste link você encontra o material didático elaborado pela Save Brasil sobre o Projeto Jacutinga para o uso de professores

Foto: divulgação BirdLife Internacional/Marco Silva e @rboulhosa

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

2 comentários em “Jacutinga volta à Mata Atlântica graças ao trabalho de biólogos brasileiros

  • 29 de outubro de 2016 em 10:07 PM
    Permalink

    Boa noite para todos os amigos .
    Eu não conhecia esta pagina tudo que se refere a preservação do meio ambiente dos animais das florestas e rios me interessa , em geral .
    Daqui a pouco entenderam o porque .
    A anos atras vendo uma reportagem na TV quase um pedido de socorro porque iriam construir represa para hidrelétrica no Amazonas que iria causar grande impacto ambiental .
    Daquele momento em diante comecei sem querer com os meus rascunhos uma tentativa de criar algo que pudesse oferecer uma alternativa para o setor elétrico sustentável .
    Eu trabalho na construção civil desde 1977 portanto quando eu falo que algo da para ser feito e porque da , utilizando a minha experiencia de construir e com projetos comecei a queimar muitos neurônios em busca de uma alternativa sustentável para a geração de energia elétrica sem precisar construir represas , não foi fácil quase tudo pronto faltava uma parte importante que eu não conseguia resolver mas estava o tempo todo na minha frente bastou sem querer virar a folha do rascunho paraver a resposta do que faltava , quase não acreditei estava o tempo todo ali na minha frente .
    Mas vivemos no Brasil ate a pouco dominado pela a corrupção e custei para intender o porque de apesar dos meus contatos com Brasilia e o Ministério de Minas Energia não adiantou absolutamente em nada ate a presente data .
    Muitos parlamentares brasileiros conhecem minhas ideias inovadoras e Governadores Estaduais e ouros me parece que não ha interesse de mudar esta atual forma do setor elétrico brasileiro ou não acreditam na capacidade dos brasileiros de criar de inovar que possam dar uma importante contribuição para muitos países que estão em busca de alternativas para a geração de energia elétrica sustentável sem destruir o meio ambiente e ninguém consegue oferecer algo novo para o o setor elétrico mundial .
    Estamos perdendo um importante tempo .
    Amigos eu os convido para compartilhar as paginas dos Projetos EAS Geração de Energia Elétrica Auto Sustentável zero impacto ambiental , sem precisar construir represas baixíssimo consumo de água total preservação do meio ambiente e quase sem limites para geração de energia elétrica porque sera auto sustentável único no mundo .
    Agora pensem quantos anos para construir uma ultrapassada hidrelétrica causadora de gigantescos impactos ambientais e o custo financeiro .
    O Brasil não consegue acompanhar o crescente consumo de energia elétrica e tem quefazer uso das termoelétricas encarecendo a tarifa da energia .
    Lamentavelmente esta tudo pardo por falta de dinheiro e de interesse por parte dos nossos governantes para o Brasil financiar todos os Projetos EAS seria quase insignificante mas para mim sozinho jamais conseguirei .
    Eu agradeço a todos os amigos compartilhe o Blog do projetoeas.blospot.com.br atualmente compartilhado em mais de 40 países .
    Tudo sera compartilhado nas paginas dos Projetos EAS .

    Resposta

Deixe uma resposta