Jabuticaba: uma paixão nacional

pé de jabuticaba

Essa frutinha roxo escura por fora (quase preta) e com polpa branca, extremamente doce e deliciosa por dentro, pode ser encontrada em pouquíssimos lugares do mundo. Um privilégio brasileiro! Nativa da Mata Atlântica, a jabuticaba ocorre desde a região de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, e também, mas com menos frequência, em áreas da Argentina, Bolívia e Peru. Na língua tupi, jabuticaba quer dizer fruta de jabuti. A jabuticaba é realmente uma paixão nacional!

Árvore frondosa, mas de crescimento  muito lento, pode levar dez anos para começar a frutificar (estágio de desenvolvimento adulto). A jabuticaba contem antixoxidantes, cálcio, magnésio, fósforo, potássio, zinco e vitamina C. Um coquetel de boa saúde contra infecções! Das diversas espécies comercializadas, a mais conhecida e consumida é a Sabará.

A jabuticabeira deve ser plantada no início da estação das chuvas. Gosta de solos bem adubados com esterco e irrigação constante, porém não tolera terra encharcada nem salinidade, inclusive a maresia. Portanto, se quiser ter uma na praia, plante-a num vaso bem grande ou acima do nível da praia (areia), entre bosques e florestas, para protegê-la do sal .

A reprodução da planta pode ser feita através da semeadura. As sementes têm ótimo poder de germinação, logo após a colheita ou até seis meses depois, desde que elas sejam mantidas dento de um ambiente com bastante umidade.

A indicação de plantio da jabuticaba é de fazer uma cova de 60 x 60cm  e agregar 30 kg de esterco, que deve ser misturado com 200 gramas de farinha de osso e e 200 gramas de cinzas em solos  argilosos siltosos (com presença de silte, um mineral encontrado em alguns tipos de solos) e bem drenados.

Se você mora em apartamento, mas tem uma varanda bem iluminada, onde bata sol por pelo menos 4 horas diárias, também dá para ter um pé de jabuticaba. Só é preciso que o vaso seja bem grande, com cerca de 2 m de diâmetro por pelo menos, 1,20 m de profundidade.

A árvore adulta pode atingir até 15m de altura. Com uma copa arredondada, em terrenos maiores, pode ser cultivada próximo a outras culturas de ciclo mais curto, como coqueiros, juçara, laranja, limão, mamão e madeiras para o corte. No entanto, deve-se respeitar, na hora do plantio, o espaçamento de no mínimo 6m x 6m à 10m x 10m e manter sua base limpa de ervas e grama, mantendo a terra coberta sempre por uma camada de cobertura morta, de prefêrencia seixos, que manterão o solo úmido e as raízes protegidas da erosão.

Durante a fase juvenil, antes de começar a produzir frutos, a jabuticaba precisa ser podada para adquirir uma formação  ampla e bem equilibrada. Seu tronco, geralmente feito de modo  trifurcado (aberto em três grandes ramos), deve ficar mais livre, favorecendo a colheita e a florada  na parte interna da copa.

flor da jabuticaba

Jabuticabeira em época de floração

A produção de frutos pode variar ano a ano, sendo que nos primeiros quinze anos ela poder gerar uma produção de 50 kg de fruta por pé e depois de maduras, com 30 a 40 ano, as jabuticabeiras fornecem até 200kg por pé.

frutificação acontece até duas vezes ao ano, de setembro a novembro, e com a irrigação em condições muito favoráveis, pode também frutificar de maio a junho. Todavia, a fruta é altamente perecível, o que faz da jabutica uma fruta de distribuição restrita e sazonal, não atingindo mercados internacionais, nem abastecendo satisfatoriamente o amplo mercado  nacional. É possível mantê-la em bom estado para consumo em caixas especiais, que diminuem o impacto mecânico entre os fruto,s e com temperatura de 12 graus, por no máximo doze dias. Nos últimos anos, graças ao empreendedorismo de alguns, a fruta tem sido processada na origem, fornecendo geleias, licores, vinhos , molhos  e sucos, com ampla aceitação.

A manutenção da qualidade do solo deve ser feita anualmente, com aplicação de 10 a 20 k de esterco ou cama de galinha por pé, e de 3 a 6 k de farelo de algodão ou farelo de mamona ou farinha de sangue  e de 1 a 3 k de farinha de osso.

Pragas e doenças na jabuticaba

Por ser nativa do Brasil, a jabuticabeira não sofre muitos ataques fatais, no entanto, a preservação  de seu ambiente limpo e livre de resíduos da colheita são decisivos para a prevenção de pragas. A jabuticaba pode ser atacada por fungos como a ferrugem Puccinea psidii e o fungo Botryodipbidia, o pulgão – ceroso (Capulina jaboticabae Ih.), a mariposa (Timocraticapalpalus) e a mosca das frutas.

Quando os fungos ocorrem pode haver a seca dos ramos e raízes. Logo aos primeiros sinais, use calda bordalesa (vendida nas lojas de fazendeiros, veterinários e suplementos agrícolas) ou fungicidas a base de cobre. Em geral, os fungos atacam quando o clima fica muito úmido e as temperaturas muito baixas.

Caso o problema seja com pulgão, deve-se tratar o mais rápido possível os ramos afetados, raspando-os e pincelando-os com calda sulfocálcica.

Já a mosca das frutas pode ser combatida com armadilhas e tratamentos recomendados de região para região, uma vez que elas podem atacar outras culturas também.

Fontes
: Manica, I .Frutas nativas, silvestres e exóticas-1.Porto Alegra- Editora Cinco continentes- 2000

Fotos: Adriano Makoto Suzuki/Creative Commons/Flickr (abertura) e Leonardo Aguiar/Creative Commons/Flickr (flor da jabuticaba)

Liliana Allodi

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

Deixe uma resposta