App brasileiro que traduz português para língua dos sinais está entre os 20 do mundo premiados pelo Google

Hand Talk: App brasileiro que traduz português para língua dos sinais está entre os 20 do mundo premiados pelo Google

Os alagoanos Ronaldo Tenório, Carlos Wanderlan e Thadeu Luz acabam de adicionar um novo prêmio a já intensa listas de reconhecimentos recebidos pelo aplicativo que criaram juntos, em 2012: o Hand Talk. O app traduz o português oral e escrito – textos, áudios e até, fotos – para libras, a língua brasileira de sinais, utilizada pelos surdos.

A mais recente dessas premiações aconteceu no começo do mês, quando foram divulgados os 20 projetos, do mundo inteiro, selecionados no Desafio Google de Impacto em Inteligência Artificial (IA).   

A iniciativa do Google tem como objetivo investir em organizações sociais, institutos de pesquisa e negócios de impacto social, através de ajuda financeira e mentoria, e desta forma, estimular o uso da inteligência artificial em novas soluções para enfrentar os principais problemas sociais e ambientais da humanidade.

Este ano, a competição teve 2.602 inscrições, de 119 países. As empresas escolhidas vão dividir um prêmio de US$ 25 milhões. À companhia brasileira caberá R$ 3 milhões, que com esse dinheiro, pretende realizar um sonho antigo: traduzir o aplicativo para o inglês.

Além disso, durante cinco dias, todas as 20 organizações se juntarão aos profissionais de IA do Google e também com os especialistas em startup do Google Launchpad Accelerator, em São Francisco, na Califórnia.

Ajudante útil e pra lá de simpático

Hugo é o avatar digital desenvolvido pela Hand Talk. O simpático bonequinho consegue traduzir praticamente tudo para a língua de sinais.

Periodicamente, novas palavras e frases são adicionadas ao software, que possui um plug in para sites e uma versão em aplicativo. Só na versão para mobile, já são mais de dois milhões de downloads.

Estima-se que, globalmente, há 360 milhões de deficientes auditivos. No Brasil, são aproximadamente 9,7 milhões de pessoas que enfrentam algum tipo (ou total) dificuldade para escutar e se comunicar, sobretudo, com aqueles que não dominam a língua de sinais.

A Hand Talk foi eleita pelo jornal Folha de São Paulo como o mais promissor empreendimento social do Brasil, em 2014, e recebeu o Global Pluralism Award, em 2017.

Ronaldo Tenório, CEO e um dos cofundadores do negócio foi considerado pela Forbes como um dos jovens brasileiros mais promissores e em 2016, ficou entre os 35 inovadores abaixo dos 35 anos do  MIT Technology Review.

O software fazendo a tradução para libras no site de uma empresa

Fotos: divulgação Hand Talk

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta