Grupo Mawaca apresenta cantos indígenas com novos arranjos em espetáculo com os Kayapó e fotos de Renato Soares

Desde 1996, o Grupo Mawaca pesquisa e recria a música de inúmeras regiões e culturas pelo mundo, interpretando canções em mais de 20 línguas com arranjos inovadores e criativos e encanta com suas performances vigorosas e vibrantes. O repertório vasto deste grupo formado apenas por mulheres – Angélica Leutwiller, Cris Miguel, Magda Pucci, Rita Braga, Sandra Oakh e Zuzu Leiva -, inclui músicas de tradições diversas, com temas ancestrais que possibilitam sonoridades múltiplas, revelando características étnicas locais, mas estabelecendo inter-relações com a música brasileira.

Nesse universo de sons e tradições, os cantos dos indígenas brasileiros têm lugar (con)sagrado. E foram eles que serviram de base à pesquisa de Magda Pucci, diretora musical, arranjadora, pesquisadora e também cantora do grupo, para seu novo espetáculo: Mekaron: Imagem da Alma e terá a participação especial dos Kayapó da aldeia Moykarakô (foto acima), além da projeção das belíssimas imagens do fotógrafo e indigenista Renato Soares.

O show acontecerá no Sesc Pompeia, em São Paulo, nos dias 30 e 31 de março; ingressos à venda pelo site do Sesc e em suas unidades.

Magda criou arranjos contemporâneos sobre canções dos Paiter Suruí, de Rondônia; dos Kayapó Wari, do Pará; dos Huni Kuin, do Acre, Tupari, de Rondônia, entre outros, apresentando parte da grande diversidade sonora indígena brasileira.

Parte desse repertório faz parte do CD Rupestres Sonoros – O Canto dos Povos da Florestadisponível no site do grupo e também no Spotify – que já foi indicado no Top Five do World Music Charts Europe e também ganhou excelente resenha na revista Songlines, em outubro de 2009.

Cantos, danças e fotografia

Os indígenas Kayapó ou Mebêngôkre – quatro mulheres e seis homens – apresentarão cantos e danças tradicionais e, ao final do espetáculo, executarão a canção Yo Paranã – Saudação a Oxossi, junto com os músicos que fazem parte do Mawaca: Gabriel Levy, Ana Eliza Colomar, Ramiro Marques, Rogério Botter-Maio, Armando Tibério e Valéria Zeidan.

Os Kayapó vivem na aldeia Moykarakô da Terra Indígena São Félix do Xingu, no sul do Pará. O líder desse povo é o cacique Raoni que, no início dos anos 1980, ficou muito amigo do cantor Sting e conhecido internacionalmente por suas campanhas pela proteção dos indígenas e das florestas.

Como se não bastasse a vibração visceral do Mawaca associada à beleza e ao talento dos Kayapó, o espetáculo Mekaron ainda terá seu cenário valorizado pela projeção das imagens maravilhosas do fotógrafo Renato Soares, que tem dedicado sua vida ao registro dos povos indígenas. Estarão lá representadas inúmeras etnias, entre elas Krahô, Kalapalo, Yawalapiti, Kayapó, Kamayura, Waurá, Kuikuro, Meinako e Ykipeng.

Quando conheceu o sertanista Orlando Villas-Boas, há mais de 30 anos, Renato encontrou nesses povos e em suas comunidades, irmãos e sua casa. E, desde então, vem registrando etnias por todos o país para seu projeto Ameríndios do Brasil, que dá nome ao blog que ele assina, aqui, no Conexão Planeta. Até agora, foram mais de 60 etnias visitadas e fotografadas, sendo que, em algumas comunidades, ele já voltou outras vezes. Para algumas, sempre retorna. E, mesmo que isso não aconteça, nunca perde o contato.

Agora, ouça a belíssima Canção Kayapó, incluída no repertório do novo espetáculo:

Fotos: Renato Soares (indígenas) e Divulgação (Mawaca)

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta