Greta pede que jovens não vão para as ruas por causa do coronavírus, mas mantenham protestos pela internet

Greta Thunberg

Crianças e adolescentes têm sido os menos afetados pela pandemia do coronavírus. Apesar disso, eles não estão imunes ao vírus e podem transmitir para outras pessoas. Preocupada com esse grande problema global e consciente de sua influência sobre milhares de jovens no mundo inteiro, a ativista pelo clima Greta Thunberg usou suas redes sociais para pedir que eles não vão para as ruas e protestem pela internet.

Criadora do movimento #FridaysForFuture, a sueca de 17 anos tem inspirado milhões de jovens a se manifestarem, todas as sextas-feiras, contra a inação de seus governos para tomar medidas mais efetivas para combater a crise climática.

Em setembro de 2019, mais de 7 milhões de pessoas participaram dos protestos internacionais, exigindo que os líderes globais se unissem em favor da ciência para que garantir um futuro seguro para as próximas gerações.

Mas agora, com o coronavírus, para evitar que a doença se prolifere ainda mais, a recomendação dos especialistas é que se evite aglomerações.

Por isso, Greta enviou sua mensagem esta semana para seus 2,8 milhões de seguidores no Facebook, 4,1 milhões no Twitter e 10 milhões no Instagram:

“Não podemos resolver uma crise sem tratá-la como uma crise e devemos nos unir atrás de especialistas e ciência.

É claro que isso vale para todas as crises.


Agora, os especialistas pedem que evitemos grandes reuniões públicas para ter uma chance melhor de reduzir a disseminação do coronavírus.


Então, eu pessoalmente recomendo que façamos o que os especialistas dizem. Especialmente em áreas de alto risco.


Nós, jovens, somos os menos afetados por esse vírus, mas é essencial que tenhamos solidariedade com os mais vulneráveis ​​e com o melhor interesse de nossa sociedade.


A crise climática e ecológica é a maior crise que a humanidade já enfrentou, mas por enquanto (é claro, dependendo de onde você mora), teremos que encontrar novas maneiras de criar conscientização pública e advogar por mudanças que não envolvam multidões muito grandes – ouvir as autoridades locais.


Portanto, mantenha seus números baixos, mas seu ânimo elevado, e vamos levando uma semana de cada vez.


Você pode participar do #DigitalStrike nas próximas sextas-feiras – publique uma foto sua com um cartaz e use as hashtags ClimateStrikeOnline! #fridaysforfuture #climatestrike #schoolstrike4climate “
.

Leia também:
“A natureza não negocia e a física não faz acordos”, diz Greta Thunberg ao Parlamento Europeu
“Greta é a única amiga por quem eu faltaria às aulas”, declara Malala Yousafazai após encontro com a ativista em Oxford
Epidemia de coronavírus faz com que China proíba consumo de animais selvagens
Cientistas brasileiras que sequenciaram genoma do coronavírus são homenageadas pela Turma da Mônica

Foto: reprodução Facebook Greta Thunberg

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta