Greta Thunberg, líder da greve mundial de estudantes pelo clima, doa prêmio de mais de R$ 100 mil para ONGs

Jovem ativista sueca consegue garantia da União Europeia de investimento de US$ 1 trilhão no clima

A garota de 16 anos que, em agosto do ano passado, faltou às aulas às sextas-feiras para protestar sozinha em frente ao parlamento sueco contra a inércia de políticos e empresários em relação às mudanças climáticas e conquistou o coração de 1,6 milhões de jovens pelo mundo que, em 15 de março, “mataram aula” e foram às ruas em 125 países, incluindo o Brasilacaba de receber um prêmio na França: o Prix Liberté.

Criado para homenagear pessoas comprometidas com a luta por liberdade e pelos direitos humanos, o prêmio oferece ao eleito: 25 mil euros (cerca de 108 mil reais) e um troféu talhado pela 1a. turma de marcenaria do Liceu de Artes.

Greta Thunberg concorreu com outros dois candidatos fortes e engajados pelo clima: o blogueiro Raif Badawi e o fotojornalista Lu Guang. Os três foram escolhidos para concorrer à primeira edição pelo governo da Normandia, em parceria com autoridades acadêmicas, o Instituto Internacional de Direitos Humanos e o jornal local Ouest France.

A votação foi realizada online, de 1 a 31 de março, e Greta foi escolhida por jovens entre 15 e 25 anos. Recebeu 41,67% dos votos contra 37,21% para Raif e 19,6% para Lu.

O anúncio de sua premiação foi divulgado esta semana, em 2 de abril, e ela rapidamente espalhou a notícia em suas redes sociais, com o link da reportagem publicada no jornal Ouest France, um dos apoiadores.

Ao jornal, a criadora do movimento Fridays For Future disse:

“Sou muito grata por esta imensa honra. Os outros finalistas também são ardentes defensores dos direitos humanos. Precisamos nos lembrar constantemente dos sacrifícios que eles fizeram. Lu Guang e Raif Badawi são heróis do nosso tempo.

A crise climática não está apenas ameaçando a vida de bilhões de pessoas. Ameaça toda a civilização. E são as pessoas menos responsáveis ​​que pagam o preço mais alto. Decidi doar o prêmio integral a quatro organizações comprometidas com a justiça climática: a CARE, que ajuda mulheres e meninas nos países do sul a combater os efeitos do aumento da temperatura e da mudança. climáticas, ao Adaptation Fund (Fundo de Adaptação), que ajuda comunidades vulneráveis ​​nos países em desenvolvimento a adaptar e combater as mudanças climáticas, e à 350.org e ao Greenpeace International, pois ambos lutam por justiça climática, pelo meio ambiente e contra a extração de combustíveis fósseis”.

A cerimônia de entrega do prêmio será em junho deste ano, no Fórum da Normandia pela Paz.

Foto: Reprodução Twitter Greta Thunberg

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta