Greta Thunberg é eleita ‘Personalidade do Ano’ pela Time

Greta Thunberg é eleita 'Personalidade do Ano' pela Time

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro dizer “… É impressionante a imprensa dar espaço para uma pirralha dessa aí. Pirralha!”, se referindo à Greta Thunberg, uma das mais importantes publicações mundiais, a revista americana Time, divulgou que escolheu a jovem ativista sueca, como ‘Personalidade do Ano(leia reportagem, em inglês, aqui).

Em sua conta no Twitter, a adolescente agradeceu o reconhecimento. “Uau, isso é inacreditável! Gostaria de compartilhar essa honra imensa com todos do movimento #FridaysForFuture e os ativistas pelo clima do mundo”, escreveu.

Greta ganhou a atenção mundial em agosto de 2018, quando começou uma greve solitária, toda sexta-feira, em frente ao parlamento da Suécia, em protesto contra o pouco que seu país vinha fazendo frente à crise climática. Rapidamente sua manifestação chamou a atenção da mídia e sua voz chegou a outros lugares.

Em poucos meses, a adolescente inspirou milhões de estudantes a tomarem as ruas, das principais cidades do mundo, que marcharam pelo clima, através do movimento #FridaysForFuture.

Na linda reportagem publicada pela Time, três jornalistas recontam a história de Greta e mostram porque ela virou uma referência mundial na luta contra a mudança climática (até hoje, ela é a pessoa mais jovem a ser escolhida pela publicação como ‘Personalidade do Ano).

Do alto de seus 16 anos, ela já enfrentou políticos no Parlamento Europeu, no Congresso Americano e emocionou o mundo com seu discurso na sede das Nações Unidas, em Nova York, em setembro, quando peitou os principais líderes globais dizendo: “Como vocês se atrevem?… Vocês roubaram nossa infância e sonhos com suas palavras vazias”.

Greta Thunberg é eleita 'Personalidade do Ano' pela Time

Em janeiro de 2019, em uma convenção que reuniu presidentes de algumas das principais empresas globais, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, Greta afirmou: “Quero que vocês entrem em pânico. Quero que vocês sintam o medo que sinto todos os dias. E então eu quero que vocês ajam”.

A reportagem da Time acompanhou a viagem a bordo de um catamarã, que Greta fez para cruzar o Atlântico dos Estados Unidos à Europa (ela se nega a viajar de avião por causa da pegada de carbono e porque quer servir de exemplo para outros) e poder participar da Conferência da ONU sobre Mudança Climática, a COP25, em Madrid, na Espanha. Abaixo, um dos trechos mais impactantes da matéria:

Greta não é líder de nenhum partido político ou organização. Ela não é a primeira a soar o alarme sobre a crise climática, nem a mais qualificada para solucioná-la. Ela não é cientista ou política. Ela não tem acesso às alavancas tradicionais de influência: ela não é bilionária ou princesa, estrela pop ou mesmo adulta. Ela é uma adolescente comum que, ao reunir a coragem de dizer a verdade ao poder, tornou-se o ícone de uma geração. Ao esclarecer um perigo abstrato com ultrajante indignação, Greta se tornou a voz mais poderosa na questão mais importante que o planeta enfrenta.

“Não podemos continuar vivendo como se não houvesse amanhã, porque há um amanhã. É tudo o que estamos dizendo”, afirma Greta. “Quero poder dizer aos meus netos que fizemos tudo o que foi possível para eles e para as gerações que virão”.

Greta Thunberg: inspirando o mundo

Para a menina, que sempre usa tranças no cabelo, ela tem uma responsabilidade moral em ser uma ativista pelo clima. E não é da boca para a fora. Desde que começou a se interessar pelo tema, ainda com 9 anos, Greta se tornou vegetariana e se nega a comprar qualquer coisa que não seja absolutamente necessária.

A família instalou painéis solares em casa, tem sua própria horta e um carro elétrico, que sai da garagem apenas quando é extremamente indispensável. Em outras ocasiões, o meio de transporte preferido é a bicicleta.

Greta, assim como a irmã, é autista. Ambas foram diagnosticadas com a síndrome de Asperger, uma forma mais branda do transtorno. O que faz de seu comportamento e de sua luta algo ainda mais inspirador, pois as pessoas com esta síndrome podem ter dificuldade em se comunicar e interagir com outras pessoas.

Apesar disso, ela fala como ninguém. E não se intimida. Talvez por isso, cada vez que Greta ganha maior evidência, sua presença causa mais desconforto entre algumas pessoas. De Jair Bolsonaro, com seu “pirralha”, passando por Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, que nega o aquecimento global e o que diz a ciência, até gente comum, que fica espalhando notícias inverídicas sobre a jovem ativista.

Mimada. Manipulada. Riquinha. Marionete da esquerda. Financiada pela Open Society de George Soros. Essas são algumas das acusações feitas contra Greta nas mídias sociais.

De maneira calma e sincera, como sempre, a garota de tranças nos cabelos dá sua resposta:

“Aqui vamos nós de novo … Como vocês devem ter notado, os haters estão mais ativos do que nunca – indo atrás de mim, minha aparência, minhas roupas, meu comportamento e minhas diferenças.

Eles apresentam todas as mentiras imagináveis e teorias da conspiração. Parece que cruzarão todas as linhas possíveis para desviar o foco, pois estão desesperados para não falar sobre o clima e a crise ecológica.

Ser diferente não é uma doença e a melhor ciência atual disponível não é opinião – são fatos.

Sinceramente, não entendo por que os adultos escolhem passar o tempo zombando e ameaçando adolescentes e crianças por promoverem a ciência, quando poderiam fazer algo de bom. Eu acho que eles devem simplesmente se sentir ameaçados por nós.

Mas o mundo está acordando. Vejo você nas ruas nesta sexta-feira!”.

Leia também:
Por que Greta Thunberg incomoda tanta gente?
“Nossos líderes precisam assumir a responsabilidade perante a crise climática”, diz Greta, diante de 500 mil pessoas em Madrid
Mural gigante em homenagem à Greta Thunberg é inaugurado em São Francisco
Greta e DiCaprio: o encontro de dois guerreiros pelo clima
Greta Thunberg leva centenas de jovens para protestar pelo clima em frente à Casa Branca
Greta Thunberg recusa prêmio ambiental de países nórdicos: “Não precisamos de mais prêmios, mas que ajam de acordo com a Ciência!”

Fotos: divulgação Time/Evgenia Arbugaeva e reprodução Facebook Greta (última foto)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Greta Thunberg é eleita ‘Personalidade do Ano’ pela Time

  • 11 de dezembro de 2019 em 12:04 PM
    Permalink

    Não devemos precisar de líderes. No entanto, a jovem Greta despontou como uma luz de racionalidade apaixonada, capaz de causar estalos em quem tinha algo adormecido ou acomodado. Capaz de gestos cada vez mais surpreendentes, não canso de admirá-la e amá-la! No meu livro Ara Pacis-Um outro mundo é possível? (Amazon),de 2016, o protagonista, ativista ecológico radical Maiko, espantosamente tem a mesma verve.

    Resposta

Deixe uma resposta