Fundação Amazonas Sustentável é grande vencedora do Prêmio Calouste Gulbenkian 2016

equipe da fundação amazonas sustentável

Concorrendo com outras 75 entidades internacionais, a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), uma das apoiadoras do Conexão Planeta, acaba de receber o Prêmio Calouste Gulbenkian, da fundação portuguesa que leva o mesmo nome. Há cinco anos, a instituição reconhece o trabalho de organizações ou indivíduos, de Portugal ou outros países, que tenham se distinguido na defesa dos valores essenciais da condição humana.

A organização ambiental brasileira foi escolhida pelo esforço exemplar que tem feito na defesa e valorização da Floresta Amazônica, promovendo o desenvolvimento sustentável, conservação ambiental e melhoria da qualidade de vida das comunidades ribeirinhas do estado do Amazonas.

Segundo o júri do concurso, “Operando numa zona mundialmente tão crítica como a Amazônia, a FAS desenvolve projetos para reduzir o desmatamento, preservar a biodiversidade, contribuindo para melhorar a qualidade de vida das populações tradicionaisesta distinção representa um sinal forte da importância das questões ambientais, principalmente pelo acordo histórico sobre as mudanças climáticas assinado, na ONU, por um número recorde de países”.

Fundada há nove anos, a Fundação Amazonas Sustentável nasceu da vontade e persistência do engenheiro mineiro, Virgílio Viana, em levar mais educação e mudar a vida das populações da região. Seu principal objetivo era “mostrar que os brasileiros sabem cuidar da Amazônia. E para cuidar da floresta, precisamos cuidar das pessoas que vivem lá”, me contou ele em uma entrevista em 2013.

Um exemplo deste cuidado é, por exemplo, o programa Programa Bolsa Floresta, que envolve famílias ribeirinhas em temas como  mudanças climáticas e serviços ambientais, alertando para os efeitos negativos da abertura de novas áreas de roçado em florestas primárias.

A cerimônia de entrega do prêmio acontece hoje (20/07), em Lisboa, e contará com a presença do presidente de Portugal, Marcelo Rebelo. O prêmio de 250 mil euros será investido nos programas e projetos desenvolvidos pela FAS junto às 573 comunidades em que a organização atua no interior do estado.

“Foi com grande alegria que recebemos a notícia de que fomos agraciados com este prêmio tão sério. Cada vez mais a equipe da FAS se envolverá de maneira apaixonada e com muita seriedade e profissionalismo nos enormes desafios relacionados com a promoção do desenvolvimento sustentável, em especial à conservação ambiental e a melhoria da qualidade vida das populações ribeirinhas da Amazônia”, garante Viana.

Foto: divulgação FAS

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta