Foto de americana com girafa morta como troféu de caça provoca revolta nas redes sociais

Foto de americana com girafa morta como troféu de caça provoca revolta nas redes sociais

Desprezível. Como nos dias de hoje alguém ainda tem coragem de publicar algo como isso? Pois a americana Tess Thompson Talley decidiu compartilhar em sua página no Facebook, há mais de um ano, a foto em que aparece sorridente, com um rifle na mão, ao lado de uma girafa morta, seu troféu de caça, na África do Sul. No post, ela comemorava “ter realizado um sonho”.

Pois agora, a publicação Africa Digest decidiu tornar pública a postagem de Tess em seu Twitter. A imagem viralizou nas redes sociais, gerando muita consternação e revolta. No texto, a americana é descrita como “uma selvagem, parte Neanderthal, que foi para a África e matou com tiros uma rara girafa negra graças à estupidez da África do Sul”.

Por mais inacreditável que seja, ainda há várias reservas na África onde a caça “esportiva” de alguns animais selvagens é permitida, inclusive, girafas. Mostramos aqui, no Conexão Planeta, na semana passada, a história de caçadores ilegais que entraram num destes “parques” para matar rinocerontes e foram surpreendidos por leões, que acabaram os devorando.

Depois da péssima repercussão da foto, Tess Talley apagou a postagem no Facebook e em resposta à CBS News, ela disse que, na verdade, estaria ajudando na conservação da espécie, já que a girafa macho que ela matou, já tinha mais de 18 anos, e atacava indivíduos mais jovens… Desculpa péssima!

Girafas (Giraffa Camelopardalis) são os mamíferos terrestres mais altos da Terra. Os machos podem ter até 5m de altura. Pesando mais de uma tonelada, estes animais vivem, em média, 20 anos na natureza.

Nativa de cerca de 15 países africanos, as girafas são caçadas por sua pele e carne. No passado, era comum observar grupos de 20 a 30 animais, mas agora, eles são bem menores, com aproximadamente seis indivíduos.

Estima-se que restem somente 97 mil girafas no mundo.

Em 2015, a morte de outro animal selvagem, caçado na África, também causou comoção mundial. Era o leão Cecil, abatido no Zimbábue.

É inaceitável que animais ainda sejam brutalmente assassinados, de maneira tão covarde e cruel, simplesmente para satisfazer o ego e a estupidez de seres humanos.

Quando finalmente será dado um basta nessa estupidez?!

Leia também:
Primo rico, prima pobre: o impacto das mortes de Cecil e Juma
Vencedores da categoria Meio Ambiente do World Press Photo revelam imagens estarrecedoras
300 espécies de primatas estão à beira da extinção
Humanidade destruiu 10% das áreas selvagens do planeta nos últimos 25 anos
Extinção ameaça maior primata do mundo
A Arca de Noé da extinção: fotógrafo faz arquivo digital de animais ameaçados de desaparecer

*Com informações da African Wildlife Foundation

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta