“Eu Vejo Assim” leva crianças em tratamento para dentro de seus sonhos

ilustracao do projeto eu vejo assim com crianças internadas em hospitais

*Atualizado em 19/04/2016

Nem a boneca, nem o carrinho de controle remoto. Para estas crianças, o sonho é muito mais simples e real. “Elas querem voltar para casa, pescar, comer o bolo da avó, ouvir histórias sobre as estrelas que o avô contava em noites de lua cheia”, revela Carolina Montenegro, jornalista e idealizadora do “Eu Vejo Assim”.

O projeto resgata o lado lúdico da infância de crianças em tratamento em hospitais, que por passarem longos períodos internadas, acaba ficando adormecido. Além disso, o “Eu Vejo Assim” estimula o talento artístico dos pequenos.

No Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, estes jovens pacientes – entre 5 e 12 anos – participaram de oficinas de ilustração com a equipe da Montenegro Produções Culturais. Fez a aula quem quis, ninguém foi obrigado a nada.

Em um primeiro momento do projeto, houve a adesão de 40 crianças. Durante os encontros, elas foram estimuladas a deixar a imaginação voar. “Enquanto elas desenhavam, eu as instigava a contar aquela história, que estava surgindo no papel. Os bichos ganhavam nomes, os personagem tinham diálogos”, revela Carolina.

Com este relato das histórias deste maravilhoso mundo de sonhos em mãos, o jornalista André Gomes escreveu as aventuras das crianças. Numa segunda fase do projeto, as histórias – ou os 40 registros de sonhos –, como define Carolina, ganharam ilustração, vida, cores e personagens reais. Através de ensaios fotográficos, os jovens autores se transformaram nos próprios personagens.

A finalização de todo este trabalho se dá agora, com a realização de uma grande exposição, que vai até o final do mês, no shopping Pátio Batel, em Curitiba. Na mostra, estão todas as fotos e os relatos de sonhos das crianças, que podem ser vistos numa mesa interativa com animação. Além disso, foi produzido um catálogo, que está sendo distribuído gratuitamente. A publicação também pode ser vista e compartilhada através deste link.

A inspiração para o “Eu Vejo Assim” veio do trabalho do fotógrafo canadense Shaw Van Daele, que registrava cenários de sonhos de crianças comuns, por meio da fotografia. Para tornar o projeto viável financeiramente, a Montenegro Produções usou o incentivo oferecido pela Lei Rouanet e o Ministério da Cultura e conseguiu ainda o apoio de 22 empresas paranaenses.

Este não é o primeiro trabalho com foco no universo infantil que Carolina e sua equipe promovem. Já realizaram quatro edições de um festival de teatro infantil, que tem como principal objetivo o resgate da tradição das contações de histórias. Neste ano, as peças tiveram como tema a magia das lendas brasileiras.

A parceria com o Hospital Pequeno Príncipe também não foi nova. “Levamos apresentações de teatro, contação de histórias e música para lá. Nossa intenção com estes projetos é fazer com que eles cheguem até estas crianças. Se elas não podem sair do hospital, vamos até elas”.

Mãe de dois meninos, Carolina conta que muitas vezes se emocionou – e chorou – neste contato com os pacientes do Pequeno Príncipe. “O mais impressionante, para nós, que vivemos em uma realidade completamente diferente, é perceber que o sonho deles não era um sonho de consumo, não tinha a ver com heróis da Disney”, diz. Mas ela não se deixa abater, afirma que a principal missão nas visitas ao hospital é colorir a vida destes garotos e garotas.

Para ela, é difícil mensurar o resultado ou a importância do projeto “Eu Vejo Assim” para as crianças. “Acho que trabalhamos muito mais para mostrar para a sociedade o quanto somos pequenos em nossos sonhos, o quanto deixamos de preservar o que realmente importa”, acredita. “A intenção maior é esta: levar este pensamento para as pessoas e fazer com que elas acessem esses sonhos e percebam que o mundo é muito maior que o jardim da casa delas”.

Realmente, a vida não teria graça sem sonhos. Como o do menino Cauã, que aparece na ilustração que abre este post. Montado em seu cavalo, luta contra seus monstros imaginários, talvez metáforas para seus problemas da vida real. Mas assim como o príncipe com sua espada, Cauã também venceu a batalha, e deixou o Hospital Pequeno Príncipe no ano passado.

EXPOSIÇÃO “EU VEJO ASSIM”
Data:
até 29/04
Horário: segunda a sábado, 10hs às 22hs, e domingos, 14hs às 20hs
Local: Shopping Pátio Batel – Galeria InterAtividade
Endereço:
Avenida do Batel, 1868 – Curitiba – Paraná
Entrada gratuita

Imagem: divulgação Eu Vejo Assim

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Um comentário em ““Eu Vejo Assim” leva crianças em tratamento para dentro de seus sonhos

Deixe uma resposta