Estudantes ganham prêmio por projeto social usando tijolos ecológicos

Estudantes ganham prêmio por projeto social usando tijolos ecólogicos

A construção civil é uma das atividades humanas apontadas como uma das principais responsáveis pela emissão de gases de efeito estufa na atmosfera da Terra. O setor não somente consome um volume enorme de recursos naturais e energia, como gera uma quantidade ainda maior de resíduos.

E a fabricação de tijolos está entre os grandes problemas desse mercado.

Um grupo de estudantes do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), em São Paulo, desenvolveu um projeto social envolvido a fabricação de tijolos ecológicos. “Eles são compostos de cimento, solo arenoso e água, apenas”, explica Gabriel Cattaruzzi, presidente do grupo Enactus Mauá. “Este tipo de tijolo é ecológico pois não vai para o forno como o convencional, evitando a emissão de gás carbônico para a atmosfera e a queima de lenha para sua cura”.

Ainda segundo Cattaruzzi, o tijolo tradicional utiliza a argila, que é retirada de mananciais, provocando impacto no meio ambiente. Outra vantagem do produto desenvolvido pelos jovens alunos (todos na faixa dos 20 anos) seria a redução do tempo da obra, já que ele facilita o nivelamento porque não necessita de argamassa para assentamento. “Ele tem encaixes como o de lego. No lugar da argamassa, utilizamos uma cola branca. Há dois buracos nos tijolos que servem para passar os conduítes e as instalações hidráulicas, então, não precisa ficar quebrando o tijolo na hora de construir alguma coisa”.

Entretanto, a face mais bacana do projeto é a que contempla a inclusão de ex-moradores de rua para a sua produção. A ideia é dar trabalho e oportunidade para pessoas  marginalizadas. Atualmente o grupo está realizando um treinamento de capacitação com elas para o processo de fabricação do tijolo.

“Ainda não temos um local para alocar a fábrica. Estamos em busca de um galpão na região do ABC (paulista), que atenda as legislações necessárias. No momento, estamos produzindo no próprio lar onde os ex-moradores de rua vivem, por enquanto, com caráter educativo”, diz Cattaruzzi.

O estudante do curso de Engenharia Civil ganhou, em agosto, o Prêmio Universitário do Ano KPMG, após concorrer com mais de 50 candidatos de todo país. “Ganhar o prêmio foi muito gratificante, pois ele sintetiza todo o esforço que depositei ao longo desses quase três anos, trabalhando muito para o desenvolvimento das comunidades que atendemos e buscando o crescimento da nossa equipe”, comemora.

Num país assolado por más notícias e atos de corrupção, projetos como este são um alento e mostram como, apesar de tudo, muitos brasileiros trabalham e lutam por um Brasil melhor!

Leia também:
Tijolo feito com plástico reciclado torna construção mais sustentável
ONG transforma plástico triturado em tijolo no interior de São Paulo
O tijolo amigo do passarinho
Tijolo de mandioca é triplamente ecológico
Refugiado constrói casas com garrafas plásticas, mas resistentes ao clima do deserto


Foto: divulgação

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

2 comentários em “Estudantes ganham prêmio por projeto social usando tijolos ecológicos

Deixe uma resposta