Este corpo é meu! Neste carnaval vai ter tatuagem #NãoÉNão! contra o assédio

Este corpo é meu! Neste carnaval, #NãoÉNão! Chega de assédio!

Carnaval é época de festa e folia. Mas infelizmente, nem sempre de respeito. Muitas mulheres querem se divertir, mas com o direito de escolher se querem ou não compartilhar este momento com alguém.

Frequentemente, mulheres são assediadas de maneira grosseira e dizer “Não!” não tem sido o suficiente para alguns homens entenderem que elas simplesmente não estão a fim.

Mas neste carnaval vai estar bem mais fácil para os foliões insistentes entenderem a mensagem. A campanha #NãoÉNão! vai distribuir 25 mil tatuagens temporárias pelos blocos do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo, Salvador, Recife e Olinda.

A iniciativa, que surgiu em 2017, foi  de um grupo de amigas. Elas contam que transformaram a indignação diante aos assédios que já haviam sofrido (tantos né?!)  em força para agir. Em apenas 48 horas, em um grupo de WhatsApp, arrecadaram mais de 2,7 mil reais para a produção de quatro mil adesivos-tatuagens .

O sucesso foi tão grande que as meninas se entusiasmaram e decidiram utilizar um site de financiamento coletivo para levar a mobilização para as ruas novamente, em 2018. Pois elas conseguiram arrecadar mais de 20 mil reais, da meta inicial de 7.500 reais!

Deu para entender: Não é Não!

No carnaval de 2017, a Secretaria Especial de Políticas para Mulheres registrou um aumento de 88% nas denúncias de violência sexual feitas pela Central de Atendimento, o Disque 180. Apesar do crescimento neste número, ele pode refletir que as mulheres perderam o medo ou simplesmente se cansaram de não reagir e estão vindo à público para relatar atos de assédio, assim como aconteceu com o movimento #MeToo no mundo inteiro.

Segundo Luka Borges, uma das idealizadoras da campanha #NãoÉNão!, o maior objetivo do projeto é ele não existir mais. “É muito doido a gente ter que explicar para os homens que algumas abordagens são, na verdade, uma violência”, diz.

Confira, na página do Facebook do #NãoÉNão! quais são os blocos parceiros da iniciativa e os dias em que as tatuagens serão distribuídas!

Leia também:
#MexeuComUmaMexeuComTodas reúne artistas e internautas contra assédio sexual
Por que precisamos ter um “Dia Internacional das Meninas?”
#ViajoSozinha: pelo fim da violência, discriminação e desrespeito às mulheres
O que você quer no Dia Internacional da Mulher?

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta