Espécie de tartaruga extinta na natureza há 17 anos é salva em templo hindu na Índia

Pequenos milagres de natureza são possíveis, ainda mais, quando contam com a ajuda e a persistência de seres humanos de bom coração.

Em 2002, a tartaruga de casco macio preta (Nilssonia nigricans) foi declarada extinta pela Lista Vermelha, da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês, que avalia as condições de sobrevivência de milhares de animais e plantas no planeta.

O pequeno réptil, também chamado de tartaruga Bostami, vivia em rios e lagos de água doce, em regiões da Índia e de Bangladesh. Assim como outras milhares de espécies no mundo, desapareceu devido à perda de habitat. Os indianos também consumiam a carne e os ovos da Nilssonia nigricans.

Mas no templo hindu de Hayagriva Madhav, em Hajo, na região de Assam, as tartarugas são consideradas reencarnações do Deus Vishnu, por isso são protegidas e vivem em lagos.

Em parceria com a organização de preservação ambiental Help Earth, os religiosos do templo estão ajudando a salvar a espécie e realizar a reintrodução na natureza.

Para isso, coletaram ovos das tartarugas e os colocaram em incubadoras para aquecê-los e garantir que novos filhotes nascessem.  

Há alguns meses, graças ao trabalho de reprodução artificial, 35 tartaruguinhas foram soltas em uma reserva de proteção. Antes disso, entretanto, elas passaram por um período de quarentena no zoológico de Assam.

Outras duas espécies de tartarugas também estão sendo reproduzidas no templo (Nilssonia gangetica e Nilssonia hurum) no mesmo programa de conservação. A intenção é que, em breve, novos indivíduos sejam liberados em outros lagos próximos ao templo.  

“Este é um marco histórico da conservação de tartarugas de Assam e não teria sido possível sem o interesse demonstrado pelas autoridades do templo no programa de reprodução artificial, celebrou Jayaditya Purkayastha, da Help Earth.

Na Índia há registro de 28 espécies de tartarugas e 20 delas são observadas em Assam, mas 70% delas estão ameaçadas de extinção.

*Com informações do jornal The Hindu

Leia também:
Redes iluminadas podem impedir morte de tartarugas presas acidentalmente por pescadores
Tartarugas – uma delas rara e já morta – são resgatadas por ‘Operação Praia Limpa’ em Ilhabela, SP, junto com 170kg de lixo
Centenas de tartarugas marinhas morrem presas em rede de pesca ilegal no México
Ao confundir plástico por água-viva, tartarugas encontram a morte
Na Amazônia, em julho, milhares de tartarugas transformam praias de água doce em berçários
Oceanos mais quentes estão provocando somente nascimento de tartarugas fêmeas

Foto: U.S. Fish and Wildlife Services

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta