Especialidade da casa: combater o desperdício de alimentos

Especialidade da casa: combater o desperdício de alimentos

*Por Juliana Guarany

Um terço dos alimentos produzidos no mundo vai para o lixo todos os anos. É como se, a cada três refeições preparadas, uma não fosse consumida por ninguém. A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) estima que mais de 1 bilhão de toneladas de comida sejam descartadas anualmente.

Para equilibrar essa balança em que há desperdício de um lado e fome e desnutrição de outro, um grupo de alemães se uniu para mostrar que o trabalho de formiguinha pode fazer uma enorme diferença. Eles criaram a plataforma online Foodsharing, uma ONG que coleta em mercados, padarias e outros estabelecimentos alimentos próprios para o consumo que seriam descartados.

A ideia surgiu a partir de uma prática que acontece no país: pessoas vasculham os contêineres de lixo dos supermercados atrás de comida, fazendo o que eles chamam de “dumpster diving” (mergulho no lixo, em tradução livre). Muitas delas adotaram o hábito depois de perceberem como era enorme o volume de bons alimentos desprezados.

Entre os itens mais encontrados nas lixeiras estão frutas e verduras próprias para consumo, mas com aparência imperfeita, e pacotes de frutas em que apenas uma não está boa e, por isso, ninguém compra. Produtos com validades próximas de expirar e itens sazonais, como chocolates após a Páscoa, também são constantes nos latões.

Para dar o exemplo

O que a Foodsharing faz é criar uma relação com os comércios dispostos a ceder a comida que seria rejeitada. Para esses estabelecimentos, ter alguém que absorva o volume de alimentos excedentes os livra de altas taxas que incidiriam sobre o manejo desses resíduos. A ONG coleta o material e distribui a qualquer pessoa que tenha interesse. Os próprios ativistas da Foodsharing, a maioria deles de classe média e que poderia comprar comida, escolhem consumir esses produtos para evitar o desperdício.

Os ativistas da ONG também consomem os alimentos descartados
para ajudar a evitar o desperdício 

As frutas que os clientes dos mercados não compram muitas vezes chegam perto da ponto de passar. “E são muitas, muitas frutas jogadas fora”, diz a produtora cultural Katia Münstermann, integrante do movimento. Os legumes chegam com alguma parte já podre e as verduras, queimadas.

A regra de ouro de Katia é fazer um exame de consciência antes de comprar ou receber comida: “será que já não tenho o suficiente?”, questiona a produtora, que revela os segredos dela e dos outros integrantes da Foodsharing para reaproveitar os alimentos em casa.

Muito além de sobras de alimentos: produtos industrializados perto da data de vencimento
são frequentes
nas distribuições do Foodsharing

Como recriar o cardápio

As opções para integrar o menu de quem quer comprar menos comida:

Geleia
Quando há frutas em grande quantidade muito maduras, quase podres, a saída é fazer uma geleia ou compota, que dura muito mais tempo.

Smoothie
Pedaços de frutas diferentes podem ir para o liquidificador e virar um smoothie.

Paneer
O leite quase vencido é bom para fazer um tipo de queijo comum na Índia, o paneer. A receita leva leite, sal e suco de limão.

Cozido
Pedaços de alimentos com um molho bem temperado viram um cozido.

Temperos secos
Folhas ainda servem para temperar comida por muito tempo quando secas no forno e trituradas.

Sopa duradoura
Existe um truque para que os caldos e sopas durem mais tempo na geladeira: colocando o líquido ainda quente em um pote de vidro com vedação. O calor vai criar um vácuo, preservando o conteúdo por meses.

Croutons
O truque do pão transformado em torrada sempre dá certo.

Salada mix
Cortando a parte queimada ou estragada de folhas e frutas, é possível aproveitar o restante para montar uma supersalada.

Cubos de sabor
As parte com imperfeições dos alimentos, como abóbora, cenoura, batata e milho, podem ser usadas para dar sabor ao feijão, às sopas e aos cozidos.

Produtos da horta
Replantar a base dos alimentos rende produtos frescos o tempo todo.

*Texto publicado originalmente no site Believe Earth

Fotos: Pedro Strelkow/Believe.Earth 

O Believe.Earth se expressa de várias maneiras. É conteúdo, é ação, é virtual e presencial. É um movimento que valoriza as pessoas e suas micro e macro revoluções. Que inspira a transformação e concretiza o sonho de um futuro melhor.

Believe Earth

O Believe.Earth se expressa de várias maneiras. É conteúdo, é ação, é virtual e presencial. É um movimento que valoriza as pessoas e suas micro e macro revoluções. Que inspira a transformação e concretiza o sonho de um futuro melhor.

Um comentário em “Especialidade da casa: combater o desperdício de alimentos

  • 10 de maio de 2018 em 12:37 PM
    Permalink

    Desperdício é sinônimo de FOME NO MUNDO porque sempre que jogo um pão fora, uma criança subnutrida chora a falta dele. Benditas as mãos que preparam e servem estes alimentos sagrados que não podem ser transformar no crime do descarte quando podem salvar vidas.

    Resposta

Deixe uma resposta