Esgoto no tanque do carro? Sim! Tecnologia transforma lodo de águas residuais em petróleo

esgoto-petroleo-pixabay-the3cats-x
Em tempos de mudanças climáticas aceleradas, a busca por fonte limpas de energia é premente. E a criatividade e a inovação são os únicos caminhos para essas descobertas. E, por isso, pode estar bem próximo o dia em que você vai encher o tanque do seu carro com esgoto. Quer dizer, não exatamente com o resíduo que despejamos pelo vaso sanitário – e que, na maioria das vezes, no Brasil, não tem outro destino do que o de poluir e contaminar rios, mares e tudo neles e à sua volta -, mas com o que pode ser feito dele.

Pesquisadores do Pacific Northwest National Laboratory (PNNL), laboratório associado ao Departamento de Energia dos EUA, descobriram tecnologia que imita as condições geológicas utilizadas pela Terra para produzir petróleo, com muita pressão e temperaturas altas.

Em minutos, a liquefação hidrotérmica – como é chamada essa tecnologia – faz o que a natureza demora milhões de anos para terminar: um óleo muito semelhante ao petróleo, que mistura pouca água e oxigênio. Se refinado, o tal óleo – ou biopetróleo – pode resultar em gasolina, diesel ou óleo.

Levando em conta que, nos Estados Unidos, as estações de tratamento de águas residuais recebem cerca de 34 bilhões de litros de esgoto/dia, não há dúvida de que se trata de um ótimo negócio. De acordo com o estudo, com esse volume é possível produzir o equivalente a 30 milhões de barris de petróleo/ano!

A nova tecnologia foi licenciada pela Genifuel Corporation, que está desenvolvendo projetos para a Metro Vancouver, em parceria com autoridades da cidade Columbia Britânica, no Canadá, para construir planta piloto, que deverá custar entre US$ 8 e US$ 9 milhões de dólares canadenses.

Agora, veja como funciona o processo, no vídeo abaixo:

Foto: Pixabay/The3Cats

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta