Energia solar é o setor que mais gerou empregos nos Estados Unidos

Energia solar é o setor que mais gerou empregos nos Estados Unidos

A cada 50 novas contratações, em 2016, nos Estados Unidos, uma delas foi realizada por uma empresa da área de energia solar. Nada menos do que 260 mil novos postos de trabalho foram gerados pelo setor no penúltimo ano, representando 2% de todos os novos contratos assinados no país.

Os dados fazem parte do National Solar Jobs Census, levantamento anual, produzido desde 2010 pela The Solar Foundation, sobre a situação e os avanços da indústria de energia solar no país americano.

Em relação a 2015, o censo atual revela que houve um crescimento de 25% na geração de empregos. Ou seja, mais 51 mil trabalhadores assinaram carteira no segmento de produção de energia limpa em 2016.

O estudo indica que a criação de empregos pelas empresas de energia solar triplicou nos últimos sete anos. Califórnia, Massachusetts, Texas, Nevada, e Florida são apontados como os estados onde houve a maior demanda por profissionais do mercado solar. Entretanto, a Califórnia é de longe o lugar onde mais pessoas começaram a trabalhar nesta área: 100 mil.

A pesquisa mostra que um instalador de painéis solares ganha, em média, 26 dólares por hora. Nos Estados Unidos, o valor mínimo da hora trabalhada é de 7,25 dólares.

Em 2016, a indústria solar contribuiu com 84 bilhões de dólares para o PIB americano (Produto Interno Bruto). Atualmente funcionam no país 8.600 empresas ligadas a este negócio.

No mundo todo, a energia gerada pelo sol foi a fonte que mais cresceu. Os renováveis representaram 2/3 da nova energia adicionada à rede global de distribuição de eletricidade. E a China é, de longe, o país que mais tem investido no setor de painéis solares (leia mais aqui).

Em uma iniciativa protecionista ao mercado americano, muito criticada internacionalmente, o presidente americano Donald Trump anunciou na semana passada um aumento de até 50% nas tarifas de importação de painéis solares, o que para especialistas, pode desacelerar o setor.

No Brasil, tem havido também muito investimento no mercado solar. Mostramos aqui, neste outro post, em dezembro, a notícia sobre a inauguração, no Piauí, da maior fazenda solar da América Latina. Nova Olinda tem 930 mil painéis solares e capacidade instalada de 292 MW, com potencial para produzir 600 GWh, eletricidade suficiente para atender a demanda de 300 mil casas.

Alguém ainda tem dúvida que de que as energias limpas e sustentáveis são a melhor solução para o planeta?

Leia também:
Em novo recorde, energia solar foi a fonte que mais cresceu no mundo em 2016
Energia solar se torna a fonte renovável mais barata em 58 países, entre eles, o Brasil
Bill Gates lança fundo de 1 bilhão de dólares para investir em energias renováveis

Foto: domínio público/pixabay

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta