Enchentes causam 44 mortes no Texas. Na Índia, Nepal e Bangladesh, já são 1.2oo vítimas

Enchentes causam 44 mortes no Texas. Na Índia, Nepal e Bangladesh, já são 1.2oo vítimas

Enquanto os holofotes da mídia internacional estão focados na tragédia que assolou o estado americano do Texas, após a passagem do furacão Harvey, como mostramos neste outro post, pouco se fala de outro desastre natural, com um impacto muito mais devastador.

Grandes e pequenas cidades da Índia, Bangladesh e Nepal, no sul da Ásia, estão completamente inundadas devido à chuvas e tempestades intensas. Já são mais de 1.200 mortos e estima-se que sejam 40 milhões de desabrigados, sem acesso à água potável e comida.

As enchentes são comuns entre junho e setembro na região, na chamada estação de monsoon, ou monções, em português. O termo designa uma época em que ventos sazonais, em geral associados à alternância entre a estação de chuva e a de seca, ocorrem em grandes áreas costeiras tropicais e subtropicais, trazendo fortes tempestades.

Meteorologistas afirmam, entretanto, que as chuvas deste ano foram as piores das últimas décadas. Plantações inteiras em áreas rurais estão embaixo d’água, com agricultores contabilizando prejuízos recordes. Hospitais, escolas e mercados também estão inundados.

Enchentes causam 44 mortes no Texas. Na Índia, Nepal e Bangladesh, já são 1.2oo vítimas

Casas completamente inundadas 

Nas cidades maiores, os serviços de transporte público foram interrompidos. Em Mubai, devido às fortes chuvas, um prédio de quatro andares desabou. O volume de chuva que caiu em um dia na maior metrópole da Índia, na última terça-feira, era o previsto para um mês inteiro.

Segundo informações da Cruz Vermelha Internacional, pelo menos 7,1 milhões de pessoas foram afetadas em Bangladesh (o mesmo que a população inteira da Suíça) e outras 1,4 milhão no Nepal. Na Índia, o número é ainda mais assustador: 32 milhões de desabrigados e centenas de vítimas.

Esta semana, a ativista e jornalista canadense Naomi Klein, uma das mais fortes e veementes vozes da atualidade na questão do aquecimento global, chamou a atenção da mídia sobre a maneira como a cobertura jornalística do furacão Harvey está sendo feita.

“O furação Harvey não surgiu de repente. Este é o momento ideal para falarmos em mudanças climáticas”, disse ela.

Para Naomi, palavras como “nunca antes visto, catastrófico, recordes de calor, secas históricas” estão se tornando cada vez mais comuns para descrever desastres naturais e isto está diretamente ligado às mudanças do clima, causadas pelo aquecimento da superfície da Terra.

Enchentes causam 44 mortes no Texas. Na Índia, Nepal e Bangladesh, já são 1.2oo vítimas

A Europa, por exemplo, viveu um dos verões mais quentes das últimas décadas. Em algumas capitais, como Roma, a temperatura chegou a mais de 40º C. Incêndios provocaram tragédias na Itália, França e mataram dezenas de pessoas em Portugal.

A jornalista destacou ainda como pessoas pobres e negras ficam mais vulneráveis diante destas catástrofes. Por que, por exemplo, o Texas ganhou tanta atenção e a Índia, com milhões de desabrigados e centenas de mortes foi pouco noticiada?

A razão seria porquê um país é pobre e outro rico? Quem vai garantir a segurança e proteger a vida destas pessoas com menos recursos, à medida que os extremos climáticos ficarão mais e mais frequentes?

Fotos: divulgação Bangladesh Red Crescent © Kamrul Hassan e Red Cross/© Aminul Sawon

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta