Eleições 2016: “vaquinha” online para candidatos aproxima política do eleitor

Eleições 2016: “vaquinha” online para candidatos aproxima política do eleitor

A partir de hoje, faltam 60 dias para as eleições 2016. No dia 2 de outubro, 144 milhões de brasileiros se dirigirão às urnas para exercer a democracia e eleger prefeito, vice-prefeito e vereador. Se para quem já vota há alguns (ou muitos) anos, o cenário político brasileiro parece conturbado, imagine só para quem está começando a votar agora! Você, leitor, sente-se parte da agenda política do Brasil?

Se a sua resposta à pergunta acima foi “não”, saiba que algumas iniciativas tentam mudar este cenário. Exemplo disso é o Voto Legal, uma plataforma online de financiamento coletivo. O prejeto busca aproximar a política – e as situações de participação que impactam todos os cidadãos – do dia a dia dos brasileiros. Segundo os idealizadores do site, como as eleições 2016 serão as primeiras sem doações empresariais, é uma excelente oportunidade para as pessoas se envolverem ativamente por meio de doações às campanhas políticas.

Como funciona? Os candidatos interessados em receber doações de pessoas físicas podem se cadastrar na plataforma. Para isso, basta se comprometerem a realizar uma campanha transparente, ética e que não utilizará caixa dois. O candidato também deve realizar o pagamento único de R$ 99 para custear a hospedagem e a infraestrutura do site. Antes de serem publicados no site, todos os novos perfis são avaliados pela equipe do Voto Legal.

Uma vez no site, o perfil do candidato pode ser visualizado por qualquer internauta, que pode se informar sobre projetos, campanha e fazer uma doação. Além de doar, o usuário pode votar nos três projetos do candidato que mais o agradaram. Além disso, é possível acompanhar em tempo real o histórico de doações e as prestações de contas dos candidatos.

O dinheiro doado cai direto na conta do candidato, sem intermediação do Voto Legal. Apesar de não ter foco em fiscalizar os candidatos, o site garante que apenas os candidatos “Ficha Limpa” recebem doações. Caso denunciado, o político será retirado da plataforma.

Inclusive, se o eleitor quiser, pode doar para mais de um candidato. Isso desde que o total de doações não ultrapasse os 10% dos rendimentos declarados no Imposto de Renda ou 10% de R$ 28.123,91, no caso de contribuintes isentos.

Como a plataforma foi construída em software livre, qualquer pessoa pode utilizar seus códigos fonte gratuitamente e customizá-la. É possível, por exemplo, inserir a plataforma em outros ambientes virtuais, como blogs, para captar recursos. Saiba mais sobre o projeto no vídeo abaixo:

O Voto Legal foi lançado pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e pelo negócio social Appcívico, com apoio do Instituto Arapyaú, especialmente para as eleições 2016.

Até agora, 300 pré-candidatos de mais de 20 partidos políticos de quase todas as regiões do Brasil se cadastraram na plataforma. As doações serão oficialmente abertas no dia 16 de agosto. Espalhe esta ideia!

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Jornalista, Marina escreve sobre meio ambiente para diversas publicações brasileiras desde 2011. Já colaborou para veículos como Superinteressante, Exame, VEJA, VEJA SP, M de Mulher, Casa Claudia, VIP, Cosmopolitan Brasil, Brasil Post, National Geographic Brasil, INFO e Planeta Sustentável.

Marina Maciel

Jornalista, Marina escreve sobre meio ambiente para diversas publicações brasileiras desde 2011. Já colaborou para veículos como Superinteressante, Exame, VEJA, VEJA SP, M de Mulher, Casa Claudia, VIP, Cosmopolitan Brasil, Brasil Post, National Geographic Brasil, INFO e Planeta Sustentável.

Um comentário em “Eleições 2016: “vaquinha” online para candidatos aproxima política do eleitor

Deixe uma resposta