Duas brasileiras estão na lista da BBC das 100 mulheres mais inspiradoras e influentes do mundo

Duas brasileiras estão na lista da BBC das 100 mulheres mais inspiradoras e influentes do mundo

Anualmente a rede britânica BBC elabora o ranking 100 Women, que reconhece o trabalho e o ativismo de mulheres ao redor do mundo. E na lista de 2019, divulgada recentemente, estão duas brasileiras: na categoria ‘Identidade, a filósofa, pesquisadora e escritora Djamila Ribeiro, e na categoria ‘Liderança’, a cientista política Tabata Amaral, eleita deputada federal por São Paulo.

Este ano, 100 Mulheres fez a seguinte reflexão: Como seria o futuro se fosse conduzido por mulheres? Desde a ativista pelo clima, a adolescente sueca Greta Thunberg, até a mulher trans Nisha Ayub, colocada em uma prisão masculina com 21 anos, muitas na lista promovem mudanças em nome das mulheres em todos os cantos do planeta. Elas lançam um olhar sobre o futuro e através de suas extraordinárias experiências pessoais abrem caminho para aquelas que as seguirão.

Para a BBC, Djamila é uma das figuras mais influentes no movimento de direitos das mulheres afro-brasileiras. “Seu trabalho enfoca temas como feminismo negro, racismo e empoderamento feminino. É fundadora da iniciativa Selo de Sueli Carneiro, que publica obras de escritores negros a preços acessíveis”, diz o texto de divulgação da lista.

“Para pensar no futuro, primeiro é necessário reconhecer os erros do passado. Somente enfrentando o colonialismo e suas consequências será possível coexistir com dignidade”, acredita Djamila.

Em 2018, a escritora esteve entre os onze brasileiros afrodescendentes homenageados pela ONU. Eles faziam parte de uma lista de 200 pessoas, com menos de 40 anos, com destaque em diversas áreas.

Já a descrição da trajetória de Tabata pela BBC relata que a brasileira é uma das parlamentares mais jovens do país e chamou a atenção nacional, este ano, quando um vídeo dela questionando o ministro da Educação se tornou viral.

Apelidada de “Alexandria Ocasio-Cortez no Brasil” pela imprensa, a jovem de 25 anos cresceu nos arredores de São Paulo, onde perdeu o pai por dependência de drogas. Dedicando-se à sua educação, ela ganhou um lugar na Universidade de Harvard com uma bolsa de estudos completa e se formou em Ciência Política e Astrofísica. Como parlamentar, suas principais agendas são educação, direitos das mulheres, inovação política e futuro sustentável“.

“Minha maior esperança para o futuro das mulheres no Brasil é que nossa luta por direitos e oportunidades iguais seja tão consolidada que a próxima geração de meninas nascerá sem conhecer limites para seus sonhos”, costuma dizer Tabata.

As brasileiras aparecem no ranking ao lado de outras personalidades femininas importantes e bastante famosas na mídia global, como a jogadora de futebol dos Estados Unidos, Megan Rapione, e a própria parlamentar americana Alexandria Ocasio-Cortez (veja a lista completa aqui).

Criado em 2013, o BBC 100 Women foi ao ar na Inglaterra, pela primeira vez, como uma série que discutia o papel da mulher no século XXI e as dificuldades e batalhas enfrentas por elas no mundo inteiro. Desde então, sempre no mês de outubro, a rede inglesa faz a lista, com temas diferentes a cada ano.

Fotos: reprodução Facebook/ Julia Rodrigues Fotografia (Djamila Ribeiro)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta