Desmatamento na Amazônia aumenta mais de 50% em janeiro

Desmatamento na Amazônia aumenta mais de 50% em janeiro

Durante o primeiro mês de 2019 foi registrado um crescimento de 54% no desmatamento da região amazônica, em comparação ao mesmo período do ano anterior. Em janeiro, segundo o Boletim do Desmatamento (SAD), realizado pelo Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia, Imazon, foram detectados 180 km2 de destruição da floresta. Em janeiro de 2018, eram 70 km2.  

Os estados que mais desmataram foram Pará (37%), Mato Grosso (32%), Roraima (16%), Rondônia (8%), Amazonas (6%) e Acre (1%).

Como nos meses anteriores, a maioria (67%) do desmatamento ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. O restante do desmatamento foi registrado em assentamentos (21%), terras indígenas (7%) e Unidades de Conservação (5%).

Áreas de proteção em risco

No mês passado, o Imazon também divulgou um estudo sobre as ameaças e pressões que as Áreas Protegidas (APs) sofrem. O instituto faz as seguintes distinções entre os dois termos:

– Ameaça: é a medida do risco iminente de ocorrer desmatamento no interior de uma APs. Utilizamos uma distância de 10 km para indicar a zona de vizinhança de uma AP na qual a ocorrência de desmatamento indica ameaça. Muitas APs resistem a esse tipo de ameaça não permitindo que o desmatamento penetre em seus limites.

– Pressão: ocorre quando o desmatamento se manifesta no interior da AP, levando a perdas de serviços ambientais e até mesmo à redução ou redefinição de limites da AP. Ou seja, é um processo interno que pode levar a desestabilização legal e ambiental da AP.

De acordo com o levantamento, que analisou o período entre agosto e outubro de 2018, as APs mais ameaçadas foram a Resex Chico Mendes, no Acre, e a Flona do Iquiri, no Amazonas.

O Imazon apresentará a cada trimestre um relatório sintético de Ameaças e Pressões em APs com base em dados de alertas de desmatamento do SAD e um relatório anual com dados detalhados.

*Os alertas de desmatamento e degradação florestal realizados pelo Imazon são gerados pela plataforma Google Earth Engine (EE), com a utilização de imagens de satélites e mapas digitais. Todavia, os índices de deflorestamento da Amazônia publicados pelo instituto não são oficiais. O governo só leva em conta os dados elaborados pelo Inpe, que frequentemente apresenta números diferentes aos do Imazon. A discrepância nos resultados se dá ao uso de metodologias distintas de avaliação

Leia também:
Desmatamento na Amazônia cresce pelo quinto mês consecutivo
Desmatamento na Amazônia dispara e aumenta mais de 400% em novembro
Desmatamento na Amazônia é o pior em dez anos: 1,18 bilhão de árvores foram derrubadas em um ano!
Dinheiro que financia soja, pecuária e consequente desmatamento na Amazônia vem de paraísos fiscais
Não entende a ligação entre sua picanha e o desmatamento? Este filme desenha pra você

Foto: Felipe Werneck/Ibama/Creative Commons/Flickr

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

34 comentários em “Desmatamento na Amazônia aumenta mais de 50% em janeiro

  • 10 de março de 2019 em 7:54 PM
    Permalink

    o que pode ser feito para parar com isso? o que pode ser feito para comecar o processo de re-florestamento?!

    Resposta
    • 25 de março de 2019 em 12:45 PM
      Permalink

      A redução do consumo de carne pela população mundial iria diminuir a demanda de carne e com isso naturalmente o desmatamento, que o ocorre para plantação de ração para a indústria da carne, diminuirá. É a única solução. Não temos terras suficientes no planeta para suprir a demanda se ela continuar crescendo como está crescendo: mais pessoas no planeta com velhos hábitos, isso irá acabar com toda a mata do mundo e consequentemente com toda a vida animal (incluindo nós).

      Resposta
  • 12 de março de 2019 em 1:10 PM
    Permalink

    Pode até ser verdade. Mas a foto usada na matéria não é da Amazônia, mas de uma lavoura de cana no norte do Paraná.A foto foi cortada para esconder o horizonte onde aparecem outras culturas e sinais de urbanização que não existem na amazônia.

    Resposta
  • 13 de março de 2019 em 11:27 AM
    Permalink

    Sendo foto verdadeira ou não, a importância deste assunto “Amazônia e desmatamento” é, no meu ponto de vista, relacionada diretamente com os MICROCLIMAS regionais. Nem falo de aquecimento GLOBAL, pois é tema que não acredito cientificamente falando.
    Mas acredito que sim, microrregião e microclima sofrem é muito.
    Ex: São Paulo é hoje uma fotografia do futuro da Amazônia. Entenda que para nossa geração não mas ,para as futuras, estes locais desmatados terão os problemas que tem São Paulo hoje.

    Fácil de entender se você pegar uma atitude simples, de estar debaixo de uma árvore 🌳 e depois sair debaixo dela e ficar debaixo do ☀️ sol forte.
    Esta sensação térmica é o que o solo, as plantas pequenas (importantes na medicina) , os animais e seres vivos que nem enxergamos a olho nú sentem com este tipo de ação humana.

    Pense em um rio que abriga além de peixes, inúmeras fontes de renda com a água 💦 lato senso.
    Estes peixes recebem altos níveis de agrotóxicos das plantações, desaparecem e com eles fonte de alimento e de renda para pessoas “pobres” que dependem disto para SOBREVIVER.

    O próximo poderá ser seu filho .

    Resposta
    • 14 de março de 2019 em 11:48 AM
      Permalink

      Concordo contigo, porém é sim importante que uma materia seja 100% verdadeira. Desculpe, usar qualquer imagem para representar a materia é no minimo uma prova de que algo esta errado, mentiroso… Nosso jornalismo ja passou de vexamoso!

      Resposta
      • 15 de março de 2019 em 9:20 AM
        Permalink

        Erika,
        Você tem toda a liberdade para achar o que quiser. Faz parte de um sistema democrático e de livre pensamento, do qual somos partidárias no Conexão Planeta.
        Somos também um site de jornalismo sério, comprometido com a verdade. Temos anos de experiência na área e nossa reputação nunca fui discutida. A informação da matéria é de fonte segura, do Imazon, um órgão respeitado no Brasil.
        Órgãos de imprensa do mundo inteiro fazem uso de fotografias de banco de imagem. Não somos só nós. E nem por isso, nunca foram desacreditados.
        Abraço,
        Suzana

        Resposta
  • 17 de março de 2019 em 2:30 AM
    Permalink

    Jornalistazinha da Globo?
    Curioso que quer colocar que tais dados são referentes ao começo do novo governo
    Dados não oficiais,graficos que não revelam objetivamente

    Resposta
    • 17 de março de 2019 em 6:38 PM
      Permalink

      Andre,
      Você poderia me dizer exatamente onde no texto está a informação que a culpa do desmatamento é do atual governo? O desmatamento na Amazônia começou a piorar desde 2004. O novo governo assumiu em janeiro. Desde 2015, quando o Conexão Planeta foi criado, denunciamos o desmatamento na região. Ninguém está tentando defender ou culpar governo A ou B, o que estamos é noticiando políticas ineficientes que ao longo dos últimos anos são responsáveis pela derrubada da floresta.

      Resposta
  • 17 de março de 2019 em 7:30 AM
    Permalink

    Discutir a data da foto se equivale a receber uma mensagem ruim e atirar no mensageiro. Temos que refletir sobre a mensagem. Neste caso, temos que refletir sobre o que provoca o aumento do desmatamento.

    Resposta
    • 17 de março de 2019 em 6:08 PM
      Permalink

      Muitíssimo obrigada, Marcelo!

      Resposta
  • 17 de março de 2019 em 5:42 PM
    Permalink

    Legenda da foto. Link indicado pela Suzana:
    Ibama
    Operação Hymenaea, Julho/2016
    Ibama e Polícia Federal combatem extração e comercialização ilegais de madeira da Reserva Biológica do Gurupi e das Terras Indígenas Caru e Alto Turiaçu, no Maranhão.

    Foto: Felipe Werneck/Ibama

    Resposta
  • 18 de março de 2019 em 7:07 AM
    Permalink

    se a foto nao ilustra o tema da matéria, e no decorrer da matéria nao indica com precisão os dados, fica uma má impressão de REPORTAGEM forçada, a tal da fake news, e isso nao colabora com o que precisa de fato saber. Abraços.

    Resposta
    • 18 de março de 2019 em 10:42 AM
      Permalink

      Diler,
      Em todas as matérias do Conexão Planeta há crédito para as fotos. Temos muito cuidado com isso. E sempre indicamos com link de onde tiramos as informações que usamos. Somos profissionais e garantimos aos nossos leitores que o que escrevemos é confiável.
      Abraço,
      Suzana

      Resposta
  • 18 de março de 2019 em 7:20 PM
    Permalink

    Li a matéria e depois li os comentários. Acho que a questão da foto ser ou não contemporânea não interfere em nada a compreensão do texto. Que, diga-se de passagem, é muito bom! Parabéns, Suzana!

    Resposta
    • 21 de março de 2019 em 4:29 PM
      Permalink

      Muitíssimo obrigada pela mensagem, Filipe!
      Concordo com você que a foto ser ou não atual não interfere no entendimento do texto.
      Grande abraço,
      Suzana

      Resposta
  • 20 de março de 2019 em 1:17 AM
    Permalink

    Parabéns pela reportagem!!

    Resposta
  • 20 de março de 2019 em 1:20 AM
    Permalink

    PARABÉNS PELA REPORTAGEM!

    Resposta
  • 24 de março de 2019 em 3:11 PM
    Permalink

    Os caras acreditam em fake news do Bolsonaro mas veem uma foto de desmatamento e ficam questionando a veracidade dela kkkkkkkk quando vcs ficarem sem ar aí será tarde demais

    Resposta
  • 24 de março de 2019 em 3:29 PM
    Permalink

    Independente da veracidade ou não dos dados, o problema do desmatamento é uma realidade. Acredito q muito disso está na conta da corrupção desenfreada, inclusive do IBAMA (muita sujeira neste órgão) e que no Governo atual vem sendo combatido com veemência e competência.
    Esse panorama ruim dos últimos governos vai aos poucos definhando para dar lugar a um País que merece dias melhores.
    Força Bolsonaro!

    Resposta
  • 24 de março de 2019 em 3:58 PM
    Permalink

    Paraben pela reportagem Suzana, e quem quizer saber mais a respeito deste tema que é um fato, que continue lendo em diferentes fontes de estudo as quais apontarao no mesmo resultado.

    Resposta
    • 25 de março de 2019 em 7:15 PM
      Permalink

      Obrigada!
      Abraço,
      Suzana

      Resposta
  • 24 de março de 2019 em 4:13 PM
    Permalink

    Para um bom leitor o importante é entender a mensagem repassada pela matéria, ou seja, o aumento do desmatamento na Amazônia.
    O que fica claro é que o desmatamento só aumenta e aumenta, e políticas públicas para sanar esse problema é que deveriam ser discutido.
    Sobre a imagem, ela é totalmente representativa e atual e está de acordo com a temática da matéria. Existem muitas outras, atuais e antigas, basta pesquisar.

    Resposta
  • 24 de março de 2019 em 11:00 PM
    Permalink

    Incrivel que é acompanhado via satélite e mesmo assim o desmatamento cresce a cada dia. Inadmissível, a humanidade só dará conta a impirtancia de uma arvore quanto precisar de uma sobra …triste saber que quem sentira todo este impacto serão nossos filhos. As leis deveriam ser severas, crimes ambientais nao cabe multas. As pessoas devem ser penalizadas a recontruir tudo que destruiu ate o ultimo dia de sua vida.

    Resposta
  • 25 de março de 2019 em 8:59 AM
    Permalink

    Independente da foto ou não… a pergunta é, oq fazer para evitar que isso aconteça? Tem algum meio?
    Parabéns pela reportagem!

    Resposta
  • 25 de março de 2019 em 12:37 PM
    Permalink

    Incrível como o nivel de fanatismo politico no Brasil está afetando até um assunto serio como esse, percebo que a discussão em relação a foto ser de agora ou não está totalmente ligada a data que a materia que pra mim é muito seria estar dentro do 1 mês do novo governo, portanto tentam desmerecer a materia para que assim o fanatismo deles pelo governo que sabemos que nunca teve um planejamento para desmatamento e pelo contrário sempre disse que afroxaria as leis, é uma vergonha esse fanatismo e ainda denegrindo a materia da jornalista que se preocupa com um bem maior que seria a vida que temos na amazonia, ridiculos!

    Resposta
  • 25 de março de 2019 em 6:07 PM
    Permalink

    Discussões sobre uma foto ilustrativa não pode desviar o motivo da matéria. Será que uma notícia sobre uma traição conjugal necessita mesmo da foto em tempo real do acontecido? A mensagem foi dada, querer desmerecer o que está acontecendo, só por causa de uma foto, é ser omisso e conivente com o desmatamento criminoso que continua sim acontecendo e crescendo.

    Resposta
  • 26 de março de 2019 em 10:46 AM
    Permalink

    É inacreditável que as pessoas estão discutindo a foto utilizada para retratar a matéria em vez dos DADOS levantado pelo órgão, e que foram citados na matéria. Vocês tem noção de que A Floresta Amazônica é considerada a maior floresta tropical em extensão e a maior reserva de biodiversidade do planeta? É isso que está sendo perdido e é isso que deveriamos estar protegendo.

    Resposta

Deixe uma resposta