Design de impacto social: estudantes brasileiros e americanos criam projeto para iniciativa de economia solidária

Já falei aqui sobre o Centro de Inclusão pela Arte, Cultura e Cidadania, o Cisarte, que funciona na cidade de São Paulo e é uma iniciativa do Movimento Nacional da População de Rua (MNPR) e da Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários (Unisol Brasil), em parceria com a Prefeitura de São Paulo.

O Cisarte foi inaugurado em 2016 e rompe a fronteira entre assistência e trabalho, criando um espaço para a promoção dos direitos humanos. Seminários, oficinas, cursos, ciclos de formação, apresentações musicais e muitas outras atividades têm sido realizadas desde então no local, no intuito de promover projetos de economia solidária voltados para a população em situação de rua.

E foi nesse espaço que a parceria e o trabalho conjunto de estudantes de duas universidades – Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, e Universidade de Ohio, nos EUA – proporcionou uma vivência única em design social de impacto. Uma colaboração imersiva dirigida pela professora Susan Melsop, como parte de seu curso Design Matters, em conjunto com a professora Juliana Bertolini, do Mackenzie.

Em março de 2017, o grupo de estudantes criou e prototipou mobiliário e sinalização para o Cisarte, numa cocriação de soluções que seguiu ao longo de uma semana. Um projeto para a biblioteca com unidades moduláveis, que integram um sistema de mesas, cadeiras e prateleiras, com a possibilidade de criar mais peças no futuro e ligar tudo em um sistema único.

A experiência de criação imersiva no Cisarte proporcionou oportunidades de aplicar o design thinking na busca e no desenvolvimento de soluções, afirmando o design também como importante ferramenta de impacto social.

Vejam só o registro da experiência, feito pela Universidade de Ohio, no vídeo abaixo:

Foto: Cisarte

Jornalista e mestre em Antropologia. Coordenou a Comunicação da Secretaria do Verde da Prefeitura de São Paulo – quando criou as campanhas ‘Eu Não Sou de Plástico’ e, em parceria com a SVB, a ‘Segunda Sem Carne’. Colaborou com a revista Página 22, da FGV-SP, e com a Unisol Brasil. Hoje é conectora – trabalha linkando projetos e pessoas de todas as áreas na comunicação para um mundo melhor

Mônica Ribeiro

Jornalista e mestre em Antropologia. Coordenou a Comunicação da Secretaria do Verde da Prefeitura de São Paulo – quando criou as campanhas ‘Eu Não Sou de Plástico’ e, em parceria com a SVB, a ‘Segunda Sem Carne’. Colaborou com a revista Página 22, da FGV-SP, e com a Unisol Brasil. Hoje é conectora – trabalha linkando projetos e pessoas de todas as áreas na comunicação para um mundo melhor

Deixe uma resposta