Descoberta duas novas espécies de mini sapos no Paraná

Descoberta duas novas espécies de mini sapos no Paraná

Pela imagem acima, não dá para ter a menor dúvida que os sapinhos encontrados no Paraná são realmente pequenos. Ou melhor, minúsculos. Para ser mais precisa, eles têm entre 10 e 12mm de comprimento.

As duas novas espécies foram encontradas por biólogos paranaenses em uma área de densa vegetação, no topo das montanhas da Serra do Mar, nos municípios de Piraquara e São José dos Pinhais, próximo a Curitiba.

Os pesquisadores explicam que os dois anfíbios fazem parte do grupo dos menores vertebrados terrestres do mundo. Identificados por seu canto (coaxado), os mini sapos foram batizados de Brachycephalus coloratus e Brachycephalus curupira.

Também conhecidos como sapinhos da montanha, estes animais sofreram um processo evolutivo chamado miniaturização, daí o tamanho minúsculo dos mesmos. Por viverem no topo de montanhas, precisaram se adaptar a este meio ambiente. As espécies têm resistência ao frio, desenvolvimento direto (não passam pela fase de girino) e contam com um número de dedos reduzidos, comparados a outras espécies. Todavia, diferente de outros anfíbios, não sabem nadar.

Descoberta duas novas espécies de mini sapos no Paraná

Por sua cor mais escura, o Brachycephalus curupira é um pouco mais difícil de ser encontrado

Acredita-se que as novas espécies de mini sapos recém-descobertas são exclusivas da região. “Uma característica delas é o microendemismo, ou seja, um fenômeno que torna a distribuição delas extremamente reduzida, em apenas uma localidade identificada até o presente momento”, explica o biólogo Malter Natura.

Os pesquisadores ressaltam que podem existir mais espécies desconhecidas. “A dificuldade de chegarmos a vários desses ambientes provavelmente fez com que esses anfíbios tenham sido relativamente negligenciados em estudos prévios. No entanto, já temos planejado várias novas expedições e provavelmente teremos novas espécies em um futuro próximo”, afirma o biólogo Márcio Pie.

A descoberta dos cientistas brasileiros foi registrada em artigo científico publicado na revista internacional Peerj. O trabalho foi realizado pela ONG Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais, com o apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Nos últimos cinco anos de parceria entre as duas instituições, já foram identificadas 14 espécies de anfíbios na região da Mata Atlântica, entre os estados do Paraná e Santa Catarina.

Fotos: divulgação/Luiz Fernando Ribeiro 

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta