Derrubada de 430 árvores para construção de estacionamento mobiliza moradores de São José dos Campos

Derrubada de 430 árvores para construção de estacionamento mobiliza moradores de São José dos Campos

Qualquer cidade do mundo sabe da importância da preservação de espaços verdes dentro do espaço urbano. Os benefícios que árvores e plantas geram são imensos. Para começar, entre os principais serviços (gratuitos) prestados por elas estão melhorar a qualidade do ar, reduzir a poluição sonora e contribuir para o equilíbrio do clima nas cidades, sobretudo, tornando-as menos quentes nos meses de verão.

Mas parece que a atual administração de São José dos Campos, em São Paulo, e empresas da área da construção civil não estão cientes disso. Um projeto prevê a derrubada de 430 árvores adultas, algumas com mais de 80 anos, para a construção de um estacionamento, no local onde encontra-se o Bosque Betânia. A área total do parque é de 8,4 mil m2, localizada na região central da cidade.

Revoltada com a decisão, a população se uniu para tentar impedir este crime ambiental. Para começar, segundo os organizadores do Movimento Salve o Bosque Betânia, de acordo com o índice Programa Município VerdeAzul, que mede a eficiência da gestão ambiental das cidades do estado de São Paulo, São José dos Campos possui hoje um déficit de 400 mil árvores (PMVA, 2015).

A área onde se encontra o parque é propriedade do Grupo Imobiliário Marcondes César, que já obteve junto à prefeitura e à CETESB as autorizações necessárias para derrubar o bosque.

“A população não foi informada e nem consultada a respeito. Isso, apesar de que no final de 2010, os moradores já haviam impedido um empreendimento similar que tentou eliminar o bosque”, garantem os idealizadores do movimento.

Fundamentados em leis municipais e federais, os moradores sugerem que a prefeitura faça uma permuta do terreno do bosque com a construtora, que receberá outra área de igual valor, não havendo prejuízo a nenhuma das partes, sem custo algum para os cofres do município.

Você também pode ajudar os moradores de São José dos Campos a lutar pelo Bosque Betânia. Assine já o abaixo-assinado online neste link.

Leia também:
Cidade inglesa vai plantar 3 milhões de árvores: uma para cada homem, mulher e criança que vive nela

Blog Árvores Vivas
Plantar árvores salva milhões de vidas nas cidades
As árvores mais indicadas para plantar na cidade de São Paulo


Fotos: divulgação Movimento Salve o Bosque Betânia

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Um comentário em “Derrubada de 430 árvores para construção de estacionamento mobiliza moradores de São José dos Campos

  • 14 de maio de 2018 em 10:48 AM
    Permalink

    Depois, gente boa, não vale chorar o leite derramado, quando bater aquela chuvarada na Selva de Pedra que prioriza dinheiro ao invés da qualidade de vida, nem vale se desesperar quando seu carro, que não estava no seguro, passar por você boiando na enchente, felizmente sem você dentro, pelo menos isto. Cidade de S.Paulo não consegue absorver temporais e parece claro, para leigos, o motivo é porque faltam áreas verdes de permeio com os edifícios mas, principalmente, faltou planejamento e parece tarde agora quando não dá mais para plantar bosques onde o asfalto tomou conta para não desgrudar nunca mais. Agora, peraí, é de lascar derrubar o pouquinho de verde que tem lá, é o fim da picada, né não?

    Resposta

Deixe uma resposta