Depois das Filipinas, Malásia também anuncia que não receberá mais lixo de outros países

Depois das Filipinas, Malásia também anuncia que não receberá mais lixo de outros países

Parece inacreditável. Mas é verdade. Todos os dias, milhares de containers cruzam os mares do mundo, com bilhões de toneladas de lixo. Os resíduos são ‘exportados’ pelos países onde são gerados com destino a centros de reciclagem (na melhor das hipóteses) ou a aterros sanitários e lixões de nações pobres ou em desenvolvimento.

Ou seja, uma vergonha! Países ricos se livram do seu lixo o enviando para bem longe.

Todavia, dois países acabam de dar um basta neste sistema perverso. Na semana passada, o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ordenou que toneladas de lixo sejam mandadas de volta ao Canadá. Segundo ele, os resíduos teriam chegado ilegalmente na Ásia.

Entre 2013 e 2014, o Canadá enviou mais de 100 containers para as Filipinas que teriam plástico para ser reciclado. Mas a carga incluía também resíduos não recicláveis e fraldas de adultos sujas.

“O povo filipino fica muito insultado com o fato de o Canadá tratar esse país como um local de despejo”, afirmou a assessoria de imprensa da presidência. “Se o Canadá não aceitar seu lixo, deixaremos o mesmo dentro de suas águas territoriais”.

O governo canadense alegou que o envio dos containers foi feito por empresas privadas, mas na última semana, mandou um navio cargueiro buscar o lixo.

Esta semana, na terça-feira (28/05), foi a vez do governo da Malásia declarar também que enviará toneladas de resíduos plásticos para seus países de origem.

“Pedimos aos países desenvolvidos que parem de mandar seus resíduos para o nosso país”, alertou Yeo Bee Yin, ministra de Energia, Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente e Clima da Malásia. “Não queremos mais ser o lixão do planeta”.

Lixo: cada um que cuide do seu!

Em 2018, a China proibiu a importação de lixo plástico de outros países. O então maior consumidor global de resíduos – 7,3 milhões de toneladas por ano – fechou as portas para a reciclagem.

Entre os países que mais enviavam lixo para a China estavam Reino Unido, Japão e Estados Unidos. Na terra da Rainha, organizações ambientais já haviam dado um sinal de alerta: 2/3 dos resíduos recicláveis gerados pelos britânicos “desapareciam” rumo à China.

Desde 2012, companhias britânicas exportavam mais de 2,7 milhões de toneladas de resíduos plásticos para a China e Singapura. Já o mercado americano enviava, por ano, 1,4 milhão de toneladas de lixo plástico para a reciclagem chinesa.

É hora de cada um cuidar do seu próprio lixo! E a frase mais importante nessa mudança é “reduzir o consumo”!

*Com informações da Deutsche Welle

Leia também:
Brasil é 4o maior poluidor de lixo plástico do planeta e o que menos recicla
‘Ilha das Flores’: o que aprendemos sobre lixo e humanidade com o melhor curta-metragem de todos os tempos
Curitiba fará teste com ônibus movido a biometano, produzido a partir do lixo orgânico
#DesafioDoLixo viraliza nas redes sociais ao estimular as pessoas a limpar sua cidades

Foto: Leopoldo Silva/Agência Estado/Creative Commons/Flickr

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta