‘Demarcação Já’: videoclipe reúne músicos e artistas em música-prece pelos índios

Quando ouvi a música “Demarcação Já” a primeira vez (foi durante a última Bienal, em encontro com os líderes indígenas Ailton Krenak e Davi Kopenawa promovido pelo artista Bené Fonteles), não gostei. Achei chata, longa, mas foi sem tempo hábil, sem arranjo, sem instrumentos…

Na semana passada, o clipe foi lançado durante o Acampamento Terra Livre, em Brasília. E, ao assisti-lo inteiro – tem 15 minutos!! – fiquei prostrada com tanta beleza. Não só sonora, mas visual também. Sorri, meu coração mudou de ritmo, chorei…

A letra é forte. Os intérpretes convidados/engajados, diversos: a cantora indígena Djuena Tikuma (na foto de abertura deste post) dá início à canção. Depois tem Chico César (autor da música), Criolo, Céu, Zeca Pagodinho, Arnaldo Antunes, Gil, Zeca Baleiro, Elza Soares, Marlui Miranda (na foto, com Djuena), Letícia Sabatella, Zé Celso Martinez, Lenine, Dona Odete, entre outros artistas. Tem também o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro (que lê alguns trechos), o líder Ailton Krenak, o poeta André Vallias, o músico Jacques Morelembaum…

Impossível não se emocionar com a direção sensível de André d’Elia, envolvido com as causas indígenas há muitos anos. É dele a imagem belíssima do líder, já falecido, Pirakumã Yawalapiti que ilustra o livro Povos Indígenas no Brasil, lançado pelo ISA – Instituto Socioambiental no mês passado e que mostramos aqui (o registro foi feito durante mobilização em Brasília, há 4 anos).

As imagens que ilustram cada trecho do clipe são chocantes, tristes ou belíssimas. Índios massacrados, mortos, em luta ou lindos em seus rituais. Ah… os rituais, as tatuagens, os adereços, as danças. Desejei estar com eles em suas celebrações. No vídeo, aparecem também os líderes Davi Kopenawa e Sonia Guajajara em ação no Congresso. Lindo demais!

E, pra finalizar, cenas de Tom Jobim e, ao fundo, a música “Borzeguim”, de sua autoria: “Deixa o índio vivo! Deixa o índio! Deixa!”. Nesse momento, os artistas se deleitam em interpretações-rituais, possuídos pela energia dessa prece: “Deixa os Waurá lá! Deixa o índio! Deixa os Munduruku lá! Deixa os Kaiowaa! Deixa os Kadiwéu! Deixa o índio!”. Ao longo da música, todas as etnias são lembradas, cantadas, declamadas.

Viajei em cada segundo do clipe e desejei que o Brasil mude já. E que estas palavras, em breve, se tornem mantras: Demarcação ontem! Demarcação lá! Demarcação já! Demarcação, tá? ✊✊✊ E, daqui um tempo, elas não sejam mais necessárias porque teremos finalmente aceito o convite de Jobim: “Deixe o índio lá!”.

Agora, assista ao clipe:

Foto: reprodução do videoclipe

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Um comentário em “‘Demarcação Já’: videoclipe reúne músicos e artistas em música-prece pelos índios

  • 14 de maio de 2017 em 11:00 PM
    Permalink

    Minhas reações foram muito semelhantes às suas, Monica. Uma obra prima que nos toca em todos os sentidos.

    Resposta

Deixe uma resposta