A riqueza cultural e a identidade de 40 etnias indígenas, em exposição fotográfica até 30/4


O fotógrafo e documentarista Renato Soares registra a rotina, a cultura e a identidade dos povos indígenas brasileiros há mais de 25 anos. Já fotografou 40 etnias, mas ainda falta muito para terminar seu lindo e ambiciosa projeto ao qual deu o nome de Ameríndios do Brasil, o mesmo deste blog (que completa um ano em 19  de abril, Dia do Índio).

Ele quer registrar as 305 etnias que o IBGE calcula que existem no país, que resistem à nossa civilização conquistadora. Este é um trabalho de resgate das tradições e dos conhecimentos que o país relegou e que, ao mesmo tempo, reclama por sua importância e por reconhecer nesses povos a formação do povo e de nossa identidade nacional.

“Por meio da imagem, quero resgatar a beleza e a riqueza cultural desses personagens que são a raiz da nossa alma, seus rituais que atravessam o tempo e as histórias que contam e nos transportam para um mundo tão perto e tão distante ao mesmo tempo”, diz o artista. ““Já são mais de 25 anos de mergulho no universo indígena e talvez sejam necessários pelo menos mais dez ou – quem sabe? – 20 anos para esquadrinhar tudo e revelar a diversidade étnica dos povos originários do Brasil. Quero mostrar rostos, valorizar suas culturas, respeitando sua identidade e dando-lhes visibilidade. Porque quem não é visto corre o risco de ser esquecido”.

No mês passado, Renato inaugurou exposição permanente em Tiradentes. Agora, expõe nova seleção de imagens até 30 de abril em São Paulo, em oca cenográfica montada especialmente para abrigar parte de seu acervo – são 32 fotografias -, no Morumbi Shopping (piso lazer). “Nesta exposição, fiz um recorte do meu trabalho que compõe um imenso mosaico sociocultural do país. Também é o reconhecimento e a valorização do brasileiro como um povo miscigenado que traz, não apenas no sangue, mas na raiz de sua civilização, grandes porções dessas culturas ancestrais”.

SERVIÇO
Ameríndios do Brasil
Exposição fotográfica de Renato Soares
Morumbi Shopping (piso lazer)
De 19 a 30 de abril
Entrada gratuita.

Agora, curta mais três imagens selecionadas pelo artista para dar vontade de ver mais e ir à exposição. Elas também são um presente para quem não puder vir a São Paulo ver ao vivo estes maravilhosos registros.

Menino Kayapó, na aldeia Moikarakô, Terra Indígena do Xingu (TIX)

Índio Kalapalo na festa da guerra, ritual do Javari, disfarçado para confundir o oponente,
na Terra Indígena Xingu, em 2016. A foto que abre este post também foi feita durante a mesma celebraçãoAs duas fotos são de índios Kalapalo disfarçados para confundir o oponente, durante o ritual do Javari, a festa da guerra. Terra Indígena Xingu – 2016

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Deixe uma resposta