Cultivando com as fases da lua

cultivando-fases-da-lua-800

Todo mundo sabe que a lua exerce força sobre o nosso planeta. Ela é nosso satélite natural, que rege as marés e os ritmos de fluência das energias terrenas. Mas na hora de plantar, qual lua recomendar?

Para facilitar, comece adquirindo um calendário lunar ou pesquisando sobre um na internet. Alguns  fornecem também os planetas que transitam por ela, as horas em que ela entra em um novo ciclo e as horas em que está fora de curso (horas em que a energia da lua fica desbalanceada por causa dos trânsitos celestiais).

Então, agora vamos entender como funciona esta força no nosso roçado!?!

As quatro lunações exercem quatro forças diferentes, e assim, acrescidas da influência dos planetas transitórios (constelações, signos), onde as lunações se alternam, facilitam o fluxo da energia em cada aspecto da vida na Terra.

No mundo vegetal, o fluxo de água dentro das plantas corresponde ao nosso sangue. E a lua rege estes ritmos, influenciando diretamente as partes das plantas.

Nas raízes, a influência da lua minguante favorece a colheita, quando a seiva da planta esté fluindo com mais força para baixo, como nos cultivos da batata, cenoura, beterraba, mandioca, gengibre, açafrão e inhame. Nesta lua, o corte de lenha é melhor, pois há menos fluxo de seiva para os galhos, fazendo com que a madeira seque melhor. Durante a lua minguante também é o momento ideal para fazer poda de galhos e ramos, quando o objetivo é de restrição, ou seja, quando não se quer a propagação de novos brotos. Todavia, não se deve podar nesta lua quando o objetivo é de orientar para o crescimento e a estrutura de uma fruteira, muito menos uma nova planta, que necessite de reforço (vitalidade) para crescer mais forte.

Aproveite a minguante ainda para fazer controle de pragas, assim como procurar ovos de larvas e pulverizar as plantas contra fungos. As sementes germinadas nesta fase da lua são mais resistentes à estações chuvosas por nascerem mais fibrosas.

Já para os ramos e folhas, a lua mais importante é a crescente, já que estas partes da planta recebem maior energia nesta fase. Portanto, esta é a hora para a colheita de ervas para obter maior propagação de ramos e folhas com maior teor de aromas, bem como a colheita de alface, rúcula, salsa, coentro, cebolinha, manjericão, orégano, alecrim, espinafre, acelga e cana de açúcar. Na crescente, aproveite para semear plantas com semeadura definitiva, como flores e sementes muito pequenas, como é o caso da cenoura, rabanetes, beterrabas e cravos.

É na lua cheia que se intensifica a seiva das flores, sendo o período de maior atividade dos polinizadores noturnos. Uma época propícia para montar armadilhas para controle biológico e fazer a prevenção e controle de pragas como pulverizar as plantas com adubo foliar para fortalecê-las e usar remédios naturais como florais de Bach. As sementes germinadas nesta fase, principalmente nos dois dias que antecedem a lua cheia, são mais vigorosas e resistentes à períodos de seca.

Na lua cheia, a energia do fruto recebe seu maior fluxo. Quando colhidos neste período, eles retém maior número de nutrientes, fazendo com que durem mais e estejam mais saborosos, porém, precisamos saber  primeiro diferenciar um fruto de uma semente. O fruto é a parte da planta que contém o pericarpo, conhecido como polpa, em volta de uma semente. Alguns exemplos: tomate, abacate, abóbora, pimentão, berinjela, limão, laranja, abacaxi, acerola, pitanga e figo.

A semente é o grão, a parte que contém o gérmen da planta e está relacionada com a lua nova por causa de sua capacidade de gerar novas plantas, de conter em si escondida, como na lua desta fase, a força da nova vida.  Alguns exemplos de grãos: milho, feijão, arroz, vagem e ervilha.

A lua nova é  a promessa do novo ciclo, quando aquilo que parece inerte (como o céu sem lua e o grão  encerrado em si mesmo) está se abastecendo para um recomeço. Hora boa para semear  raízes e pedir às sementes, que venham com força e alegria. Hora de planejar as semanas à frente no calendário e transplantar  as mudinhas que já trocaram  suas folhas iniciais pelas folhas definitivas. Hora de prestar atenção na rega e escarificar o solo para tirar possíveis mudas indesejáveis.

Para concluir então, vamos agora relacionar as quatro luas com os quatro elementos e com as quatro estações e assim, quando você for plantar ou colher, poderá saber qual o melhor dia para cada uma destas atividades. Se no seu calendário lunar estiverem também os planetas em trânsito, você poderá alinhá-los com as constelações, fazendo melhor uso destes recursos. E isto se aplica ainda para o controle das ervas invasoras e infestação de lagartas e outros insetos.

Vamos lá:

  • Lua nova, inverno, sementes, ar, germinação, Aquário, Gêmeos e Libra;
  • Lua crescente, primavera, ramos e folhas, água, expansão, Escorpião, Peixes, Câncer;
  • Lua cheia, verão, flores e frutos, fogo, apogeu, Sagitário, Leão, Áries;
  • Lua minguante, outono, raízes, terra, maturidade, renascimento, Virgem, Capricórnio, Touro.

Agora que você ja sabe, que tal começar um pequeno calendário de cultivo?

Não deixe de anotar as datas das mudanças climáticas mais significativas como ventos , calor, chuvas torrenciais, inversões térmicas. No ano que vem, este calendário servirá de comparação e você ja terá uma boa noção do trânsito celestial.

Leia também:
Enfim, o outono chegou! 
Horta nas alturas como nos Jardins da Babilônia
Hora de sujar as mãos … ou não!
Sol e água na medida certa
Cada planta com seu torrão
Terra de muitos tons

Foto: domínio público/pixabay

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

Liliana Allodi

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

3 comentários em “Cultivando com as fases da lua

Deixe uma resposta