Crowdfunding devolve praia privada aos cidadãos da Nova Zelândia

awaroa_abel_tasman_crowdfunding_Givealittle

“Compre esse pedaço exclusivo do paraíso em Abel Tasman e seja um proprietário orgulhoso dessa notável utopia de sete hectares. Esta paisagem pitoresca pode ser sua, incluindo mais de 800 metros de uma deslumbrante praia de areia dourada e bela mata nativa.”

Assim começava o anúncio de venda de uma praia privada na enseada de Awaroa, no extremo noroeste da Ilha Sul da Nova Zelândia. Se você ficou interessado na compra, esqueça. Há exatamente uma semana, a praia já tem um novo dono – ou, melhor dizendo, vários donos: os cidadãos do país, que a compraram por quase 2,3 milhões de dólares neozelandeses (perto de 6 milhões de reais).

O dinheiro foi arrecadado em uma campanha de crowdfunding na plataforma Givealittle, organizada por Duane Major e Adam Gardner (moradores da cidade de Christchurch). Em uma conversa corriqueira de família, no Natal do ano passado, surgiu o assunto da praia que estava sendo vendida. E os cunhados Duane e Adam imaginaram como seria legal conseguir dinheiro pra comprá-la – não pra eles, mas pra devolvê-la ao domínio público e às futuras gerações.

Era uma brincadeira, e virou realidade: em apenas três semanas no ar, a campanha conseguiu arrecadar o valor total, com mais de 39 mil doadores! Foi a campanha de maior esforço coletivo já financiada na Givealittle, de acordo com a plataforma, levantando mais de um milhão de dólares neozelandeses (cerca de 2,6 milhões de reais) em um único dia.

duane_major_adam_gardner_awaroa_crowdfunding_John Kirk-Anderson

O movimento ganhou os jornais do país e do mundo. Só o governo local colaborou com 350 mil dólares neozelandeses (900 mil reais), pra garantir a compra do terreno – e que ofertas de outros interessados particulares não atrapalhassem a empreitada. “É um resultado excelente. Eu amo a ideia de que o povo da Nova Zelândia não só se manifestou, mas contribuiu mesmo que com pequenas quantias”, disse a ministra de Conservação Maggie Barry.

O terreno deve passar para as mãos do Departamento de Conservação da Nova Zelândia e, futuramente, ser incorporado ao Parque Nacional Abel Tasman, cujo território faz limite com a propriedade. Atualmente, o acesso à praia só acontece de barco ou avião.

“Agora esperamos que as pessoas compartilhem experiências nesse lindo pedaço de terra nativa. É um lugar de difícil acesso, mas eu acho que, no futuro, lugares difíceis de chegar serão mais difíceis de encontrar. Esperamos poder cuidar dele para o nosso futuro, e acho que juntos nós podemos fazer isso melhor”, disse Duane Major ao agradecer a todos que contribuíram pra tirar o projeto do papel.

Vídeo não-oficial mostra um pouco das belezas da praia da enseada de Awaroa, na Nova Zelândia

Fotos:
Praia da enseada de Awaroa (Foto: Givealittle)
Duane Major e Adam Gardner, os criadores da campanha de crowdfunding (Foto: John Kirk-Anderson)

Viajar pode fazer mais. Por você e pelos lugares que visita. Este é o lema da Associação Garupa, Organização Social de Interesse Público (OSCIP) que trabalha com o turismo sustentável como ferramenta para promover distribuição de renda e preservação de riquezas naturais e culturais do Brasil. A Garupa atua no apoio a comunidades e iniciativas em três frentes: por meio de consultoria para campanhas de crowdfunding, da realização de Expedições Garupa ou da divulgação de experiências sustentáveis através do Guia do Brasil Autêntico.

Na Garupa

Viajar pode fazer mais. Por você e pelos lugares que visita. Este é o lema da Associação Garupa, Organização Social de Interesse Público (OSCIP) que trabalha com o turismo sustentável como ferramenta para promover distribuição de renda e preservação de riquezas naturais e culturais do Brasil. A Garupa atua no apoio a comunidades e iniciativas em três frentes: por meio de consultoria para campanhas de crowdfunding, da realização de Expedições Garupa ou da divulgação de experiências sustentáveis através do Guia do Brasil Autêntico.

Deixe uma resposta