Cris Vianna em um musical que canta os problemas do Brasil

cris vianna

Uma trupe de cantores-atores-dançarinos está percorrendo o país com o espetáculo Rio, Mais Brasil – O Nosso Musical.

Idealizado e produzido por Gustavo Nunes, desde o começo o pensamento era repensar o Brasil através da música.

O projeto demorou mais do que o esperado para sair do papel e ir para o palco: um dos patrocinadores desistiu já quando o grupo estava fechado e começando os ensaios. Este dissabor também foi colocado no espetáculo e com muito ritmo e barulho (no bom sentido): o grupo apresenta quase duas horas de música, a maiora, sucessos que vão retratando os personagens e as regiões do Brasil.

E nessa viagem vão sendo mostradas ainda atrações como o Festival Folclórico de Pairintis, no Amazonas, e as Festas Juninas do Nordeste. O espetáculo fala do amor do pantaneiro e do gaúcho pela sua terra, e claro, traz os problemas brasileiros, como a violência urbana, a violência contra a mulher e o lixo que se acumula em algumas cidades. A direção é de Ulysses Cruz.

No elenco de atores estão Cris Vianna e Leonardo Vieira. E atriz conversou com o Brasil de Cor, quando contou um pouco do musical e de como está sendo a experiência de viajar e cantar para o público. Na realidade, a relação de Cris com a música é anterior à atuação.

Veja o papo abaixo:

Fotos: reprodução Facebook Cris Vianna

Jornalista há 30 anos, é formado em Comunicação Social na Universidade Federal do Paraná. Em 1986, começou a carreira em televisão, primeiro como repórter e mais tarde, editor e apresentador. Trabalhou nas Redes Globo e Record. Em 2015, montou sua própria empresa, a Sobrequasetudo Comunicação e Arte, especializada em media training. Em 2017, criou o Brasil de Cor, um canal para dar oportunidade e visibilidade a negros brasileiros

Herivelto Oliveira

Jornalista há 30 anos, é formado em Comunicação Social na Universidade Federal do Paraná. Em 1986, começou a carreira em televisão, primeiro como repórter e mais tarde, editor e apresentador. Trabalhou nas Redes Globo e Record. Em 2015, montou sua própria empresa, a Sobrequasetudo Comunicação e Arte, especializada em media training. Em 2017, criou o Brasil de Cor, um canal para dar oportunidade e visibilidade a negros brasileiros

Deixe uma resposta