Contando histórias com a fotografia


Todas as vezes em que fotografo, em todos os momentos em que me encontro com a luz, busco a magia das cores e das sombras.

São momentos que gravo na retina e consigo condensar para dentro da caixa escura. E cada momento faz parte de um aprendizado. Em cada click, deixo um pouquinho de meus sentimentos que se perpetuam na imagem.

Agora, em palavras, deixo registrados meu carinho e minha admiração por todas as populações indígenas de nosso Brasil. Foram os índios que salvaram minha alma e, por isso, tenho dedicado minha vida a este trabalho sem fim.

Na imagem que ilustra este post, as mulheres Yamurikumã da aldeia Kalapalo, em novembro de 2017, no Parque Indígena do Xingu.

Na mesma aldeia, a multiplicação da vida e das cores nos olhos do menino (foto abaixo).

Desejo que, em 2018, estas cores se multipliquem e que nossos índios também!

Fotógrafo e documentarista especializado no registro de povos indígenas, bem como da arte, cultura e biodiversidade do país. Mineiro, desde 1986 realiza viagens para retratar formas de expressão cultural dos grupos étnicos brasileiros. Colaborador do blog Por Trás das Câmeras, Renato descreve o que chama de “Diário de Campo”. É autor ainda do blog Ameríndios do Brasil, mesmo nome do seu projeto de fotografia com os índios

Renato Soares

Fotógrafo e documentarista especializado no registro de povos indígenas, bem como da arte, cultura e biodiversidade do país. Mineiro, desde 1986 realiza viagens para retratar formas de expressão cultural dos grupos étnicos brasileiros. Colaborador do blog Por Trás das Câmeras, Renato descreve o que chama de "Diário de Campo". É autor ainda do blog Ameríndios do Brasil, mesmo nome do seu projeto de fotografia com os índios

Deixe uma resposta