Conferência do Clima será realizada na Espanha e Greta Thunberg pede carona para voltar à Europa… pelo mar

Assim que as manifestações do povo contra o governo do Chile se intensificaram, há mais de duas semanas, o cancelamento da realização da 25a. Conferência sobre Mudanças Climáticas da ONU em Santiago era esperado. Assim que foi anunciado em 30/10 por Sebastian Piñera, presidente do país, a secretária-executiva da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCC), Patrícia Espinosa, anunciou que a ONU estava empenhada em encontrar outro local. E provou isso.

Ontem, 1/1, ela comunicou que a COP25 será realizada de 2 a 13 de dezembro (foi antecipada em 4 dias) em Madri, Espanha. O anúncio foi feito após confirmação do presidente interino do governo desse país, Pedro Sánchez, de que a Espanha aceitara receber a próxima conferência climática.

Em dezembro, antes de assumir o governo portanto, Bolsonaro comunicou a ONU que não receberia o encontro internacional por falta de recursos. Na verdade, ele nega as mudanças climáticas e, com essa decisão, já deu uma ideia de como seria tratado esse tema em sua gestão. Foi assim que Piñera assumiu a realização da COP25, sem imaginar que o país estava a caminho de uma convulsão social.

Que bom que a Espanha atendeu ao apelo da ONU tão rapidamente. Se já é difícil avançar nas negociações com os encontros anuais, imagina algum deles…

Quem dá carona pelo mar

Assim que tomou conhecimento do novo local da COP25, a ativista sueca Greta Thunberg divulgou em suas redes sociais (como Instagram e Twitter, abaixo), que precisa de carona para voltar à Europa. Pelo mar. Como se sabe, ela não anda de avião. E não é por medo, mas por seu compromisso com o clima.

Como contamos aqui, no Conexão Planeta, Greta foi para os Estados Unidos a bordo de um veleiro. Pierre Casiraghi – filho mais jovem da Princesa Caroline de Mônaco –, e do alemão Boris Hermann, que comandam a equipe de regata Malizia, atenderam ao apelo da ativista, que considerou sua proposta e adesão como a mais próxima de seu ativismo. A foto que ilustra este post é um dos primeiros registros dessa viagem e foi feita em 14 de agosto, em Plymouth, Reino Unido, a caminho de Nova York.

Eis o que Greta escreveu no Instagram: “Como a #COP25 foi oficialmente transferida de Santiago para Madri, precisarei de ajuda. Acontece que eu viajei metade do mundo, da maneira errada Agora preciso encontrar uma maneira de atravessar o Atlântico em novembro … Se alguém pudesse me ajudar a encontrar transporte, ficaria muito grata“.

E lamentou não poder ficar mais tempo em nosso continente. Sua intenção era descer para conhecer iniciativas e pessoas na América Latina. “Sinto muito por não poder visitar a América do Sul e a Central desta vez. Estava tão ansiosa por isso. Mas é claro que isto não é sobre mim, minhas experiências ou para onde desejo viajar. Estamos em uma emergência climática e ecológica”.

Agora, quem será que atenderá a seu pedido deste lado do Atlântico?

Abaixo, seus posts no Instagram e no Twitter.

Foto: Reprodução/Instagram

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta