Com a natureza e milhões de ideias inspiradoras na cabeça


No dia 12 de Agosto, aconteceu, em São Paulo, mais uma edição do TEDxSãoPaulo, realizado anualmente (às vezes, até mais vezes por ano). Pra quem não sabe, TEDx é uma conferência filhote do TED que, por sua vez, é uma conferência criada pela organização sem fins lucrativos que leva esse mesmo nome, tem 26 anos e se dedica a espalhar ‘ideias que merecem ser compartilhadas’ e podem ajudar a mudar o mundo. Cada palestrante tem 18 minutos para dizer o que pensa e contar sobre sua ideia. No Brasil, diversos TEDx têm sido realizados em cidades distintas ou até bairros, sempre muito inspiradores. O TEDxSãoPaulo é um dos mais constantes e influentes.

Este ano, o tema do encontro em São Paulo foi educação. Por isso, eu não podia deixar de ir, né? E me juntei a aproximadamente 10 mil pessoas, durante 10 horas, para ouvir novas ideias, propostas, experiências e inovações sobre esse tema. Foi o maior TEDxSãoPaulo já realizado.

Sabia que, lá, encontraria algumas inspirações interessantes para meu trabalho ou, no mínimo, seria provocada a refletir. Mas confesso que fui preparada para não ouvir muito a respeito de natureza, da beleza que é estar “do lado de fora”, da vida ao ar livre… Imaginei que um ou dois palestrantes fossem falar a respeito, mas não! Me enganei, que sorte! E saí do parque gigante do Palmeiras, com um caderninho cheio de anotações sobre o que ouvi, para poder pesquisar e me aprofundar mais em cada iniciativa e propostas. Mas precisava dividir um pouco do que lá ouvi com você, aqui no blog. E aqui estão algumas das ideias apresentadas que tocaram profundamente o meu coração.

O professor Luiz Eduardo Anelli, paleontólogo, falou da pré-história brasileira. Por que não sabemos nada sobre ela? Por que não aprendemos na escola? Por que os dinossauros brasileiros não ocupam grandes salões de museus? Luiz fez um grande chamado para conhecermos o passado do nosso território. Pra quem quiser se aprofundar, ele já publicou três livros:  O guia completo dos dinossauros do BrasilDinos do Brasil e ABCDinos

Além de olhar para trás, fomos convidados a olhar para cima!

Carlos Fairbairn, fotógrafo premiado no Concurso Internacional de Fotografia Astronômica, encantou com as incríveis imagens que ele faz fotografando o céu, em áreas sem poluição. Com seu relato, chamou a atenção para os 5 bilhões de pessoas no planeta, que moram em grandes metrópoles, onde o céu é cinza, coberto pela poluição. E nos convidou para estar em áreas de boa visibilidade noturna e contemplar esse grande espetáculo que passa sobre nossas cabeças todas as noites.

E também olhamos pra dentro, para uma sociedade que está meio doente, mas não precisa de remédios e, sim, de mais natureza. Olhamos para a grandiosidade e simplicidade da floresta e para experiências em educação que não veem outra saída que não a pautada pela sustentabilidade.

O psicólogo Alessandro Marimpietri não falou diretamente sobre natureza, mas sobre medicalização da infância, que é um tema urgente, que muito se relaciona muito com o que eu e Rita Mendonça fazemos e falamos aqui. A Rita já escreveu um post bem bacana a respeito. Alessandro destacou a importância das experiências ao longo da infância, lançando a todos a corresponsabilidade neste período, a qual deve se estender para além da família.

Orimar Teixeira deu um show de encantamento e simplicidade. Ele vive numa comunidade na região da floresta amazônica e compartilhou seus grandes aprendizados; frutos da observação, das vivências e das percepções que tem na floresta todos os dias.

Mariana Brein, diretora do Instituto Toca, – que pesquisa inovações em educação no campo da sustentabilidade – falou de uma educação verdadeiramente sustentável, compreendendo os princípios dos ecossistemas e vivendo em meio à natureza.

Enfim… foi um dia incrível, de muita provocação e reflexão. Ouvir essas pessoas incríveis, que incentivaram e inspiraram todas as pessoas ali presentes – dez mil!!! – a estar fora da sala de aula, ter contato com a natureza, num encontro tão especial, enche meu coração – e o da Rita também! – de esperança na perspectiva de que, cada vez mais, as pessoas estão refletindo sobre esses temas e entendendo que a natureza é mestra.

Creio que todos os vídeos das apresentações do TEDxSãoPaulo estarão disponíveis online, então, quem tiver interesse, o melhor é acompanhar sua página no Facebook.

Edição: Mônica Nunes

Foto: Unsplash/Domínio Público

É pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica. Participa de diversas formações sobre primeira infância, brincar e arte para crianças e coordena o programa Ser Criança é Natural (que dá nome a este blog), do Instituto Romã, que incentiva o contato das crianças com a natureza. Organiza a ação Doe Sentimentos e acredita no poder da infância e que o mundo pode ser melhor.

Ana Carol Thomé

É pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica. Participa de diversas formações sobre primeira infância, brincar e arte para crianças e coordena o programa Ser Criança é Natural (que dá nome a este blog), do Instituto Romã, que incentiva o contato das crianças com a natureza. Organiza a ação Doe Sentimentos e acredita no poder da infância e que o mundo pode ser melhor.

Deixe uma resposta