Coletivo PermaSampa fortalece a permacultura urbana na periferia de São Paulo. Inscrições para novo curso, até 6/3!

Juntos desde 2015, os integrantes do Coletivo Permasampa são educadores e ativistas com formações diversas e larga experiência e muitos pontos importantes em comum: além do interesse e espertise em permacultura, possuem olhar generoso e atento para as grandes questões das cidades e uma incrível capacidade de ação e experimentação. São eles: Claudia Visoni, Felipe Pinheiro, Gilberto Machel, Giuliana Capello (colaboradora do Conexão Planeta), Guilherme Castagna, Julio Avanzo, Lucas Ciola, Nilson Dias, Nádia Recioli, Peter Webb, Tomaz Lotufo e Vinícius Pereira.

Se uniram para disseminar conhecimentos e fortalecer a prática da permacultura na capital paulista, potencializando o que já faziam muito bem sozinhos. Transformaram-se – sem exageros – numa das mais interessantes referências em  permacultura urbana. E têm feito diferença, especialmente na periferia de São Paulo.

“É nessa rica experiência de troca com permacultores, coletivos e ativistas de toda a cidade que temos encontrado os caminhos para o desenvolvimento da permacultura urbana, em direção a uma cidade mais sustentável e justa para todas as pessoas”, ressalta o grupo.

Desde sua criação, o PermaSampa já realizou quatro edições de seu Curso de Design Permacultural (PDC, na sigla em inglês), em parceria com o Instituto Casa da Cidade. Este tipo de curso costuma ser o primeiro contato de quem se interessa pelo assunto. Seu currículo tem 72 horas de aulas teóricas e práticas, é reconhecido internacionalmente e baseado nas lições dos fundadores da permacultura, os australianos Bill Mollison (1928 – 2016) e David Holmgren (1955).

Mas é interessante destacar que, de acordo com o grupo, o PDC PermaSampa e Casa da Cidade não se restringe ao currículo tradicional, buscando “capacitar os participantes a planejar territórios com o mínimo impacto socioambiental, a partir da gestão sistêmica de recursos naturais energéticos, alimentícios e hídricos, e introduzindo conceitos de permacultura urbana, tais como redução dos impactos ambientais das cidades, resiliência e regeneração socioambiental no meio urbano, transição para a economia de baixo carbono, construção de políticas públicas sustentáveis e direito à cidade”.

Para Nádia Recioli, coordenadora pedagógica do curso, um de seus pontos fortes é o intercâmbio feito entre o centro e as periferias. “Os alunos, oriundos de diferentes universos, agregam seus saberes ao curso, seja pelas formas específicas e acadêmicas do conhecimento de uns, seja pelos saberes tradicionais e experiência prática em permacultura e ação comunitária de outros, como é o caso de quem chega pelas vagas sociais”, diz. Nosso trabalho é compreender isso e ajudar as pessoas a ressoarem essas vozes, a tomarem para si a ação de transformação, promovendo trocas e valorizando os saberes que vêm de todos os lados”.

Em março, o PermaSampa realizará mais um curso PDC, focado no ambiente urbano, com aulas práticas na Zona Leste com o coletivo Quebrada Sustentável. Serão três semanas de imersão – em três módulos: 13 a 17 de março (1); de 1 a 7 de abril (2) e de 6 a 13 de maio (3) – ao longo de três meses, com aulas à noite de 2a. à 6a. na sede da Casa da Cidade em período integral, e atividades práticas aos sábados, que incluem visitas a campo e a aplicação dos conceitos estudos no projeto de estudo de caso escolhido.

Das 25 vagas oferecidas, cinco são sociais (destinadas a membros de coletivos e líderes comunitários) e já estão preenchidas. As inscrições podem ser feitas por e-mail (inscricoes@casadacidade.org.br) até 6 de março. Informações no mesmo endereço eletrônico.

Muito além Do PDC

Obviamente, as atividades do PermaSampa não se restringem ao curso. O grupo está sempre elaborando novas atividades como debates gratuitos para discutir a importância e o impacto da permacultura na vida coletiva na cidade, relacionando o tema a outros assuntos pertinentes e transversais, como políticas públicas ambientais, ativismo hacker, autogoverno e resistência, entre outros. Em janeiro, por exemplo, recebeu o renomado arquiteto alemão Gernot Minke e mais de 200 pessoas num encontro  sobre arquietura sustentável e construções com materiais naturais.

Agora, assista ao vídeo de apresentação do curso:

SERVIÇO

Datas: módulo 1, de 13 a 17 de março; módulo 2, de 1 a 7 de abril; e módulo 3, de 6 a 13 de maio
Carga horária: 80 horas
Local: Instituto Casa da Cidade Rua Rodésia, 398, Vila Madalena, São Paulo, SP.
Educadores: Claudia Visoni, Felipe Pinheiro, Gilberto Machel, Giuliana Capello (colaboradora do Conexão Planeta), Guilherme Castagna, Julio Avanzo, Lucas Ciola, Nilson Dias, Nádia Recioli, Peter Webb, Thomas Lotufo e Vinícius Pereira.
Coordenação Pedagógica: Nádia Recioli
Informações e inscrições: inscricoes@casadacidade.org.br

Fotos: Divulgação

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta