Coentro: uma relação de amor e ódio

coentro

Coriandrum  sativum é o nome científico do nosso popular coentro, uma planta anual herbácea, de origem indiana. Com sabor marcante e contagiante, é uma erva pra lá de controversa. Os que a detestam costumam dizer que “Ela toma o gosto de tudo  no prato!“, “Tem gosto de sabão !”  ou ainda, “Parece que estou comendo perfume!

E para quem gosta é isto mesmo: um perfume que se acentua no paladar, amarrando os sabores adocicados das carnes e peixes feitos com temperos agridoces ou defumados. O coentro abre o paladar, traz frescor, ajuda na digestão, já começando a dar água na boca.

O coentro também pode ser consumido na forma de semente, em tisanas (chás medicinais). Fica especialmente bom com camomila e hortelã para um chá digestivo. Nos temperos moídos, empresta um sabor frutado, entre o cítrico e o anisado.

Sementes de coentro, tão saborosas quanto às folhas

Para agregá-lo à saladas e molhos em forma de semente, pode ser quebrado levemente e tostado ou pulverizado para o preparo de curry, o tempero típicos da culinária indiana.

Tostada, a semente de coentro pula da panela como se fosse pipoca, o que faz despertar o aroma contido nela, emprestando sabor à manga e fazendo par perfeito com ela em uma salada de rúcula regada com molho de soja, vinare de arroz e azeite de gergelim.

Contem saponinas que são compostos diluentes de gordura, por isso, é costumeiramente servido junto a pratos com óleo de dendê e leite de coco, feijoadas e moquecas.

Aprenda a cultivar o coentro

O coentro produz uma folha muito parecida com a da salsa e da cenoura, pois todos são da mesma família (Umbreliferas). Na horta, o coentro cresce o ano todo. Nas regiões sul e sudeste, se adapta melhor se plantado de setembro a fevereiro.

A semeadura deve ser diretamente no canteiro. Esfregue as semente para que partam e germinem mais rápido. Esta erva gosta de bastante umidade e solo arenoso ou argiloso, com bastante composto ou húmus de minhoca. Deve-se plantar em sulcos distanciados, em 45 cm, e em linha  contínua, e ir desbastando à medida em que forem crescendo.

Pode-se deixar uma planta mais forte a cada 30 cm para produção de sementes no momento de colher. Se você quiser cultivar as raízes daquelas que comprar no mercado para continuar o ciclo e colher as sementes, basta replantar as raízes que não estiverem muito ressecadas, no entanto, esta operação será mais lenta para produção do que uma planta semeada diretamente.

Em geral, o coentro germina em  oito dias e está pronto para colher a partir dos 40 dias. A colheita pode ocorrer durante todo o cultivo (40 dias) ou até o aparecimento do pendão floral, que culminará no desenvolvimento das sementes (180 dias), que devem ser colhidas quando o ramo começar a secar.

Mantenha o ramo dependurado, envolto em papel para evitar poeira, e para evitar a contaminação de insetos sobre as  sementes durante a secagem. Quando começarem a cair, é hora de colher, batendo o ramo dentro de um saco plástico. Estas sementes devem servir também para a próxima geração de coentro. Evite, todavia, semeá-lo no mesmo canteiro sucessivamente. Alterne a semeadura do coentro com couves (cultivo anterior) e brócolis (cultivo posterior) e evite replantar no mesmo canteiro a salsa, a cenoura e a mandioquinha.

coentro

O coentro tem propriedade carminativa, estimulante  estomacal e em algumas literaturas,
diz-se afrodisíaco. Pode ser usado em licores, geleias e perfumes

Fotos: domínio público/pixabay

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

Liliana Allodi

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

Deixe uma resposta