Coca-Cola junta em comercial animais em risco de extinção, garrafas e canudos plásticos, no Ártico


Coca-Cola junta em comercial animais em risco de extinção, garrafas e canudos plásticos, no Ártico

Simplesmente inacreditável. Me sentei na poltrona para assistir um filme. Adoro cinema, incluindo a parte dos trailers e aquelas animações que muitas vezes só são exibidas ali.

De repente, começa um comercial da Coca-Cola. Um puffin, nome em inglês do papagaio-do-mar (Fratercula arctica), ave marinha ameaçada de extinção, aparece no meio do gelo tentando abrir uma garrafa do refrigerante.

Ela faz de tudo, mas não consegue. Confesso que já fiquei bastante incomodada. O papagaio-do-mar querendo tirar a tampa da garrafa?

Aí, aparece um grupo de ursos-polares. Sim, espécie também em risco de extinção. A cena fica ainda mais surreal. Todos com garrafas do refrigerante entre as patas. O urso líder então aponta para seu focinho e mostra para a ave que ela pode usar o bico para destampar a Coca-Cola.

E como se tudo isso já não fosse suficientemente bizarro, o urso ainda oferece um canudoplástico, é lógico! – para o papagaio-do-mar tomar o refrigerante.

É isso mesmo, Coca-Cola?!

Como é possível que o marketing da empresa tenha aprovado um comercial como este? Lançado em 2017, ele ainda está sendo veiculado, ou seja, parece não ter incomodado a companhia.

No mundo todo, milhares de animais e aves marinhas morrem engasgados com resíduos plásticos. Não faltam exemplos e imagens chocantes. Há pouco mais de dez dias, noticiamos aqui que uma garça ficou com o bico preso em um lacre plástico no interior de São Paulo.

No mês passado, uma cachalote foi encontrada morta na Indonésia com sacolas, sandálias e mais de 100 copos plásticos no estômago. Em abril, outra baleia da mesma espécie encalhou na Espanha com 29 kg de plástico no estômago. Dois meses depois, mais uma baleia morta: dessa vez na Tailândia. Tinha engolido 80 sacolas plásticas.

Entre 1970 e 2012, houve uma redução de 50% das espécies marinhas que habitam os oceanos do planeta.

Atualmente há também um movimento global para proibir o uso de canudos. Diversas cidades do Brasil e de outros países já baniram seu comércio e utilização.

Por essa razão, é um ato de irresponsabilidade uma empresa do porte e com o poder da Coca-Cola veicular uma propaganda como esta. Duas espécies com risco de desaparecer do planeta, em meio ao Ártico, manuseando uma garrafa de refrigerante (açúcar é um veneno para os qualquer tipo de animal), e ainda mais, com canudo plástico?

Não dá, né?!

Leia também:
Coca-Cola, PepsiCo e Nestlé são maiores poluidoras de lixo plástico do planeta, denunciam ONGs internacionais
Onde foram parar as 1,1 bilhão de garrafas plásticas produzidas pela Coca-Cola no ano passado?
Coca-cola, Pepsi e Ambev não venderão mais refrigerantes em escolas infantis (finalmente!)

Foto: reprodução vídeo Coca-Cola

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

2 comentários em “Coca-Cola junta em comercial animais em risco de extinção, garrafas e canudos plásticos, no Ártico

  • 27 de dezembro de 2018 em 11:12 AM
    Permalink

    Então, já que a Coca-cola não entendeu o recado do Planeta, boicote nela e ativistas em ação respondendo com todos os argumentos disponíveis comprovando o crime ambiental do Comercial sem noção, para os responsáveis pelo marketing da Empresa se tocarem, se é que vai dar tempo de recolher todo o lixo humano do Natal e Ano Novo que a Coca-Cola fabricou, que pessoas descartaram e que animais vão tentar, em vão, deglutir. Uma total desconexão com o Planeta e os seres que vivem nele, humanos e animais, porque humanos, convenhamos, também não têm se dado muito bem, nestes últimos anos, trocando os saudáveis sucos de frutas naturais pelo caldo preto bem gelado que a gente tem certeza que não é ecologicamente correto, mas toma, porque todo mundo toma, haja Deus.

    Resposta
  • 27 de dezembro de 2018 em 7:24 PM
    Permalink

    Excelente Suzana!

    Resposta

Deixe uma resposta