Circuito de feiras regionais de economia solidária mobiliza Minas Gerais

Desde janeiro o estado de Minas Gerais promove um circuito de Feiras Regionais de Economia Solidária. Ao todo, este ano serão realizadas 16 feiras que devem beneficiar cerca de 900 empreendimentos no estado. Duas delas já aconteceram no mês passado, em Pedra Azul e em Barbacena. A próxima acontece em março, na cidade de Governador Valadares.

A viabilização do circuito se deu por meio de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) com a Associação Aprender Produzir Juntos. Ao todo, serão disponibilizados cerca de R$ 435 mil para a realização das feiras, recursos direcionados por meio de termo de fomento por indicação da Comissão de Participação Popular (CPP) da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Tanto a Secretaria quanto a Associação têm empreendido ações de fomento a essas iniciativas. Em 2018, por exemplo, a Aprender Produzir Juntos, em parceria no mesmo formato com o Governo do Estado de Minas Gerais, promoveu 12 feiras regionais e uma estadual. Em 2019, foram realizadas também 12 edições da Feira de Economia Popular Solidária em túneis no subsolo da Cidade Administrativa, sede do Governo de Minas e ponto fixo de comercialização de produtos dessa economia, já conhecido da população.

Economia Solidária se destaca nas políticas públicas do estado

Em 2018, escrevi aqui, no Conexão Planeta, sobre o crescimento da economia solidária em Minas Gerais, que havia registrado aumento de 2.800% em 30 anos, segundo levantamento do Observatório do Trabalho da Sedese. A ampliação se deu após a instituição da Política de Fomento à Economia Popular Solidária em Minas Gerais, instituída pela Lei 15.028/04, regulamentada quatro anos depois por decreto, embora somente em 2015 o estado tenha criado o Plano Estadual de Economia Popular Solidária, garantindo a destinação de recursos específicos para o segmento.

O circuito das feiras é uma das ações previstas pelo Plano, que está estruturado em quatro eixos:
– conhecimento, educação, formação e assessoramento;
– produção, comercialização e consumo sustentáveis;
– financiamento, crédito e finanças solidárias; e
– ambiente institucional, legislação e integração de políticas públicas.

O apoio à comercialização é um dos pontos mais bem-sucedidos desde a implementação da Política de economia solidária no Estado, em especial por meio da realização de feiras periódicas regionais e estaduais e do estabelecimento de pontos fixos.

Para saber mais sobre o processo de fortalecimento da política de economia popular e solidária no Estado, recomendo a leitura do estudo Panorama da Economia Solidária no Estado de Minas Gerais, publicado pelo IPEA em 2019.

E, agora, atenção às datas das feiras!

Localidade Data
Governador Valadares 07 e 08/03
Araçuaí 10 e 11/04
Poços de Caldas 18 e 19/04
Montes Claros 01 e 02/05
Juiz de Fora 08 e 09/05
Buritizeiro 14 e 15/05
Januária 22 e 23/05
Paracatu 05 e 06/06
João Monlevade 09 e 10/06
Teófilo Otoni 18 e 19/06
Belo Horizonte 03 e 04/07 (regional)
05 e 07/07 (estadual)
Diamantina 10 3 11/07
Uberlândia a definir

Tabela com informações da Sedese

Foto: Oswaldo Afonso/Agência Minas

Mônica Ribeiro

Jornalista e mestre em Antropologia. Coordenou a Comunicação da Secretaria do Verde da Prefeitura de São Paulo – quando criou as campanhas ‘Eu Não Sou de Plástico’ e, em parceria com a SVB, a ‘Segunda Sem Carne’. Colabora com a revista Página 22, da FGV-SP e com a Plataforma Parceiros Pela Amazônia, e atua nas áreas de meio ambiente, investimento social privado, economia solidária e negócios de impacto, linkando projetos e pessoas na comunicação para um mundo melhor

Deixe uma resposta