Cientistas comprovam: o canto das aves pode eliminar o estresse

Diferente dos dias de hoje, quando os primeiros de nossa espécie caminhavam livres pela Terra há milhões de anos atrás, nós seres humanos mantínhamos uma relação especial com a natureza. Afinal, como todas as milhares de espécies de animais, plantas e microrganismos que habitam o planeta, também surgimos e evoluímos em um habitat natural, cercados por inúmeras outras espécies e imersos em um universo de interações ecológicas tão complexas quanto insubstituíveis.

Por uma série de acontecimentos históricos, ou talvez por, pura obra do subestimado acaso, em algum ponto remoto de nosso passado relativamente recente, nós Homo sapiens, uma das mais de 200 espécies de primatas existentes, pouco a pouco nos distanciamos da natureza, deixando para trás paisagens e interações que fizeram parte da nossa evolução e moldaram profundamente características intrínsecas de nossa espécie.

Mesmo, agora, quando bilhões de seres humanos vivem destacados do mundo natural, aglomerados em gigantescas metrópoles, cercados por toneladas de concreto, algumas marcas impressas pela evolução em nosso DNA são impossíveis de serem apagadas.

Marcas como, por exemplo, a amizade entre cães e homens que se iniciou ainda na Pré-história, há aproximadamente 14 mil anos. Uma associação que, segundo pesquisadores como Greger Larson da Universidade de Oxford no Reino Unido, pode responder alguns dos mistérios que envolvem as origens de nossa civilização.

O vínculo entre estas duas espécies é tão forte que, estudos científicos publicados por pesquisadores como Takefumi Kikusui, especialista em comportamento animal da Universidade de Azabu, no Japão, já demonstraram que as interações entre cães e humanos disparam a produção da Ocitocina, o “hormônio do amor”, gerando respostas comportamentais observadas neste nível apenas entre mães e filhos recém nascidos.

Uau! Mas, esta é apenas uma, das muitas interações que nossa espécie desenvolveu durante sua expansão e estabelecimento pelos cantos mais longínquos do planeta. Você conseguiria imaginar quantas outras interações, essenciais ao nosso bem estar, sejam elas com outras espécies ou com paisagens naturais, poderiam ter sido esquecidas ao longo do caminho? Milhares?

Bem, que tal começar agora mesmo a restaurar uma delas? Algo que poderá, com pequenas doses diárias, comprovadamente, eliminar seu stress, atenuar momentos de depressão, afinar sua concentração no trabalho e quadruplicar a sua criatividade.

Uma brilhante cientista da Universidade de Surrey, no Reino Unido, após décadas de dedicação sobre o tema, confirmou algo que alguns de nossos avós costumavam repetir após todos os almoços de domingo que, pequenos pios, chamados e o belo canto das aves pode literalmente nos alegrar.

Eleanor Ratcliffe, investigou incansavelmente os efeitos do canto das aves no seres humanos, demonstrando já em 2013, em uma pesquisa publicada na revista científica “Journal of Environmental Psychology” que o som do canto das aves é altamente eficaz no tratamento de pessoas acometidas por estresse e fadiga de atenção, restaurando saúde mental e qualidade de vida destes pacientes.

Já em 2016, Eleanor, publicou um segundo estudo, abordando a diversidade de efeitos específicos gerados pelo canto e chamados de dezenas de espécies diferentes de aves e, os resultados, foram impressionantes.

O canto de diferentes espécies pode afetar as emoções humanas de inúmeras formas, podendo, ainda, agir de maneiras diferentes em pessoas diferentes e em pequenas doses diárias, pode auxiliar não apenas na diminuição do estresse, mas, também, no desenvolvimento e no aprimoramento de habilidades cognitivas como a concentração e a criatividade.

Na verdade, nas últimas décadas, é cada vez mais crescente o interesse dos cientistas em investigar a relação entre saúde e natureza, a cada ano novos estudos são publicados, como demonstrado pelo artigo do cientista sueco Terry Hartig, na renomada revista Annual Review of Public Health. Alguns dos mais importantes pesquisadores de diversas áreas, como Roland Sturm, são enfáticos em afirmar que a natureza é essencial para a manutenção da saúde mental dos seres humanos.

Em entrevista exclusiva publicada, aqui neste blog, Richard Louv um dos líderes globais na disseminação da importância da reconexão entre pessoas e natureza, autor de livros como O príncipio da natureza e A última criança na natureza (lançado no Brasil no ano passado), ressalta que a prática da observação de aves – da qual falei em meu primeiro post, aqui, no blog, também – é uma das atividades  mais recomendadas para aqueles que desejam cuidar da saúde física e mental.

Algumas empresas e instituições já implementam, há pelo menos uma década, projetos de sonorização de ambientes que utilizam o som de várias espécies de aves, inclusive em alguns dos locais com maior índice de poluição sonora do mundo. Em Amsterdam, por exemplo, a direção do aeroporto de Schiphol optou por um projeto de arquitetura que beneficiasse não apenas os olhos, mas também os ouvidos dos frequentadores.

Através de caixas de som, ocultas na decoração do ambiente, cantos e pios de diversas aves são tocados quase continuamente com o objetivo de tranquilizar e relaxar passageiros que aguardam pelos seus voos.

Julian Treasure, um dos maiores especialistas em som ambiente da Inglaterra, palestrante de eventos com o prestigiado TED e autor de livros como Sound Business, atualmente reconhecido como uma autoridade global no tema, efeito do som sobre os seres humanos, lançou um aplicativo que pode ser baixado gratuitamente nas versões iOS (iphone) e Android (galaxy). Batizado de Study, o app toca sons de aves especificamente combinados para aumentar a concentração e o foco dos usuários.

Os cientistas só estão começando a desvendar, o efeito do canto das aves em nossos cérebros, apenas mais uma das preciosas interações entre homem e natureza que trouxeram a nossa espécie até aqui, esquecida em meio a acelerada e desgastante rotina de nossas metrópoles.

Se você se sente esgotado, estressado e sem foco no trabalho, a solução, além de gratuita, pode estar ao alcance dos seus ouvidos, basta saber onde e quando procurar. Reservar alguns minutos da sua manhã para caminhar em parques e ruas arborizadas e ouvir os pássaros, além de prazeroso pode ser aquele antídoto secreto que todos nós buscamos contra o estresse do dia a dia.

Fotos e vídeos: Sandro von Matter

Sandro Von Matter

Pesquisador em ecologia e conservação, se dedica a investigar questões sobre o topo das florestas tropicais e as fascinantes interações entre animais e plantas. Hoje, à frente do Instituto Passarinhar, é um dos pioneiros em ciência cidadã no Brasil, e desenvolve projetos em conservação da biodiversidade e restauração ecológica, criando soluções para tornar os centros urbanos mais verdes.

Um comentário em “Cientistas comprovam: o canto das aves pode eliminar o estresse

  • 12 de fevereiro de 2017 em 9:15 PM
    Permalink

    Legal demais! Não somente o som das aves, mas a prática de ir para o mato vê-las também é uma excelente terapia.

    Resposta

Deixe uma resposta