Cidade “floresta” chinesa terá 40 mil árvores e 1 milhão de plantas

Cidade “floresta” chinesa terá 40 mil árvores e 1 milhão de plantas

Parece um projeto futurístico feito para ficar no papel, mas ele já está aprovado pela prefeitura de Liuzhou, cidade no extremo sul da China.

A cidade “floresta” foi idealizada pelo arquiteto italiano Stefano Boeri e tem como principal objetivo combater a poluição e o aquecimento global. O país tem os mais altos níveis de poluentes no ar do planeta (leia mais aqui). Em um ranking divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2016, a China estava no topo, com um número assustador de 1 milhão e 32 mil mortes associadas à problemas de saúde provocados pela poluição.

Pois na Cidade Floresta de Liuzhou todas as casas, escritórios, hotéis, hospitais, escolas e shopping centers serão completamente cobertos por plantas e árvores. A meta é ter 40 mil árvores e 1 milhão de plantas, de 100 espécies diferentes.

Jardins verticais vão cobrir as fachadas 

A vegetação, não somente em parques e áreas de lazer, mas também nas fachadas das construções, ajudará a melhorar a qualidade do ar, reduzir a temperatura da cidade, estimular a biodiversidade na região e ainda, servir de barreira contra a poluição sonora.

Além disso, a cidade chinesa terá tanto painéis solares nos telhados das edificações, como produção de energia através de processo geotérmico, aquele que retira o calor das camadas mais profundas da Terra.

A estimativa da equipe responsável pelo projeto é que quando estiver pronta, a cidade verde, que deverá ter cerca de 30 mil moradores, irá absorver 100 mil toneladas de CO2 (dióxido de carbono) e 57 toneladas de poluentes por ano, enquanto, produzirá aproximadamente 900 toneladas de oxigênio.

A construção da cidade deve levar quatro anos

A nova cidade será construída numa área montanhosa e terá sua conexão com Lizhou através de um trem rápido elétrico.

O escritório do italiano Stefano Boeri é famoso por suas obras sustentáveis e focadas no chamado “green building”. Um dos projetos mais conhecidos é a Floresta Vertical, em Milão. Inaugurado em 2014, o prédio residencial, com duas torres, possui cerca de 800 árvores, 4.500 arbustos e 15 mil plantas no entorno da fachada.

Floresta Vertical, em Milão

“Nós vimos o que está acontecendo (em termos de poluição) em Pequim e Xangai, mas, ao mesmo tempo, a China precisa de mais cidades para acomodar sua cada vez maior população”, disse Boeri em entrevista à CNN. “Acredito que trazer florestas para as cidades é uma maneira de combater as mudanças climáticas”.

Leia também:
Plantar árvores salva milhões de vidas nas cidades
Prédio terá 23 mil árvores para melhorar qualidade do ar
Arquitetos apostam em jardim vertical para reduzir barulho e poluição do ar
12 cidades se comprometem a livrar ruas e bairros das emissões de gases até 2030

Fotos: divulgação

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta