Chile e Reino Unido ajudarão no combate às queimadas da Amazônia

Chile e Reino Unido ajudarão no combate às queimadas da Amazônia

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou a doação de £10 milhões, cerca de R$ 50 milhões, para ajudar no combate aos incêndios florestais na Amazônia. O dinheiro a ser enviado pelo governo do Reino Unido também deverá ser utilizado para o reflorestamento da região.

Jonhson se negou a usar a crise na Amazônia para impor sanções comerciais ao Brasil, sugestões feitas pelos governos da Irlanda, Finlândia e França (leia mais aqui).

“Em uma semana em que todos nós assistimos horrorizados à Floresta Amazônica arder diante de nossos olhos, não podemos escapar da realidade dos danos que estamos infligindo ao mundo natural”, declarou o primeiro-ministro. “O planeta enfrenta duas imensas ameaças: mudanças climáticas e perda de biodiversidade. Estes são dois lados da mesma moeda – é impossível resolver um desafio sem consertar o outro. Não podemos parar as alterações climáticas sem proteger o ambiente natural e não podemos restaurar a natureza global sem combater as alterações climáticas”.

Hoje pela manhã, o governo brasileiro também recebeu o apoio de outro país, o Chile. O presidente Sebástian Piñera esteve no Palácio do Planalto, em reunião com Jair Bolsonaro, e informou que enviará quatro aeronaves para ajudar a conter o fogo na floresta.

O chileno também se mostrou disposto a coordenar uma rede internacional de suporte aos países amazônicos. No próximo dia 6 de setembro, já está marcado um encontro com representantes dessas nações (com exceção da Venezuela).

“Os países amazônicos têm soberania sobre a Amazônia. Isso há que se reconhecer sempre. Portanto, são eles os mais interessados em preservar e proteger as florestas e a biodiversidade”, enfatizou Piñera.

Bolsonaro continua afirmando que, só aceitará o recebimento de R$ 83 milhões do G7 para a Amazônia, se o presidente da França, Emmanuel Macron, pedir desculpas a ele. Até agora, o francês não se pronunciou sobre o assunto.

No final de semana, a organização Earth Alliance, que tem entre seus fundadores, o ator e ativista americano Leonardo DiCaprio, anunciou a criação de um Fundo para a Amazônia com investimento inicial de US$ 5 milhões.

O fundo emergencial ajudará parceiros locais e comunidades indígenas na linha de frente da proteção da Amazônia. Entre as entidades escolhidas estão o Instituto Associação Floresta Protegida, a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), Instituto Kabu, Instituto Raoni e Instituto Socioambiental (ISA).

*Com informações do jornal britânico Independent e do El País

Leia também:
Funcionários do Ibama divulgam carta manifesto em que alertam sobre “colapso da gestão ambiental”
Sting acusa Bolsonaro de “negligência criminosa em escala global” por queimadas na Amazônia
Cacique Raoni entrega, à Macron, carta assinada por 58 organizações com pedido de ação do G7 pela Amazônia

Foto: Mayke Toscano/Secom-MT/Fotos Públicas

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta