Chamada de Negócios busca soluções de impacto para valorizar a biodiversidade e os povos da Amazônia

Valorizar a sociobiodiversidade da Amazônia por meio do fomento aos chamados negócios de impacto é uma das alternativas para manter a floresta em pé. E este é o caminho trilhado por empreendimentos que se revelaram em 2018, por meio da Chamada de Negócios da Plataforma Parceiros pela Amazônia.

De 81 inscritos, 15 foram selecionados para participar de um Programa de Aceleração que se desenvolve neste ano de 2019, oferecendo workshops presenciais, mentorias, assessorias contábil e jurídica, marketing, além de coworkings e bolsas para participação em eventos. Alguns receberam investimentos para alavancar seus negócios. O compartilhamento de dúvidas e soluções e o fortalecimento dos laços entre as pessoas que atuam na Amazônia ao longo do processo tem feito muita diferença, segundo impressões dos próprios empreendedores.

Escrevi sobre a história e motivação de alguns desses negócios aqui, no Conexão Planeta, abordando a diversidade de soluções propostas por eles: Manioca, 100% Amazônia, Coopmel, Tipiti, Da Tribu,  Onisafra, Chocolates de Mendes, Encauchados de Vegetais da Amazônia. As áreas de atuação do grupo são bastante variadas, mas têm em comum a geração de impacto social e/ou ambiental na região em que estão inseridas, envolvendo grupos e comunidades produtivas com comércio justo e trazendo em seu DNA, desde o princípio, o cuidado com a floresta e as populações que lá vivem e a valorização da biodiversidade.

E em 2019, outros 15 empreendimentos serão selecionados para participar do Programa de Aceleração da PPA e concorrer a investimentos de até R$ 800 mil. As inscrições estão abertas até o dia 21 de julho, e podem participar empreendedores, startups, organizações sociais, negócios de base comunitária, redes de pessoas, coletivos, instituições e empresas em estágio inicial de negócios voltados à conservação da Floresta Amazônica, à valorização da biodiversidade e ao desenvolvimento socioambiental.

As áreas cobertas pela Chamada incluem agricultura e pecuária sustentável; manejo e produção florestal sustentável e produtos da sociobiodiversidade; educação e bem-estar social aliados à conservação do meio ambiente; mitigação e adaptação às mudanças climáticas; produtos e serviços socioambientais; combate ao tráfico de animais, exploração de madeira crimes ambientais; e redução de impacto em rios e florestas por meio de gestão de resíduos.

Em rede se vai mais longe

A realização da Chamada de Negócios PPA 2019 é a continuidade de um movimento iniciado em 2017, quando um grupo de empresas, organizações da sociedade civil e entidades internacionais se uniram em busca de propor e fomentar novos modelos de desenvolvimento mais sustentáveis para a Amazônia.

Desde então, o movimento vem agregando parceiros e apoiadores, o que tem feito a diferença na qualidade do que é ofertado aos negócios ao longo do processo de inscrições nas Chamadas e dentro do Programa de Aceleração.

A Chamada deste ano também conta com apoio do Investimento Social Privado, por meio do Grupo de Fundações e Instituto de Impacto (FIIMP), do Instituto Humanize e do Fundo Vale.

“A PPA quer fomentar o desenvolvimento de negócios de impacto socioambiental para criar uma economia baseada na conservação, restauração e uso sustentável da floresta amazônica. O nosso grande diferencial é agregar empresas, investidores e parceiros estratégicos que permitem alavancar os negócios através de um pacote completo de apoio para os empreendedores, que inclui desde capacitações e assessorias especializadas até investimento direto de capital nas fases iniciais do negócio. A Chamada de negócios da PPA foi desenhada sob medida para a Amazônia e espera despertar o empreendedorismo e o ecossistema de negócios de impacto inovadores na região”, destaca Mariano Cenamo, Diretor de Novos Negócios do Idesam e Coordenador Executivo da PPA.

Realização da PPA, a Chamada 2019 conta com coordenação do Idesam e apoio financeiro de USAID, CIAT, Instituto Humanize e Fundo Vale. Tem como parceiros Pipe Social, Centro de Empreendedorismo da Amazônia, Instituto Centro de Vida (ICV), Fundação CERTI, Fundação Rede Amazônica, FIIMP, Sitawi, ICE e Conexsus e apoio das seguintes empresas e organizações: Natura, Instituto Peabiru, Equipe de Conservação da Amazônia, Bemol, DD&L, Whirpool Cervejaria Ambev, Beraca, Agropalma, Abrapalma, Althelia e Grupo Rede Amazônica.

Inscrições e informações

A Chamada de Negócios PPA 2019 recebe inscrições até o dia 21 de julho pelo site.

Para conhecer o perfil dos 15 negócios que já participam do Programa de Aceleração, acesse a página do Programa de Aceleração da PPA.

Foto: João Marcos Rosa

Mônica Ribeiro

Jornalista e mestre em Antropologia. Coordenou a Comunicação da Secretaria do Verde da Prefeitura de São Paulo – quando criou as campanhas ‘Eu Não Sou de Plástico’ e, em parceria com a SVB, a ‘Segunda Sem Carne’. Colabora com a revista Página 22, da FGV-SP e com a Plataforma Parceiros Pela Amazônia, e atua nas áreas de meio ambiente, investimento social privado, economia solidária e negócios de impacto, linkando projetos e pessoas na comunicação para um mundo melhor

Deixe uma resposta